Concurso AFT: Ministro entra com pedido de 1.190 vagas para Auditor-fiscal do trabalho!

icone calendario 28 dez 2017

Atenção concurseiros que esperam pelo novo concurso público do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE)!

Recentemente, devido ao grande déficit de Auditores-fiscais no quadro atual do MTE, o Ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, solicitou ao Ministério do Planejamento que considere a aprovação do pedido de concurso com 1.190 vagas para o cargo de Auditor-fiscal do trabalho, que requer nível superior qualquer área e oferece ganhos de até R$ 19 mil!

Previsão do edital

A assessoria de comunicação do MTPS confirmou que o processo foi protocolado no Ministério do Planejamento, e já houve movimentações.

A defasagem no cargo de Auditor-fiscal do Trabalho é cada vez maior. Dados de maio, extraídos do Painel Estatístico de Pessoal do Ministério do Planejamento, portal com informações sobre pessoal do governo federal, apontam que o déficit de auditores já é de 1.210 servidores.

Ao todo, estão previstas em lei para o quadro de auditores fiscais do trabalho 3.644 vagas. Segundo os dados do governo federal, apenas 2.434 estão preenchidas, 54 a menos do que em janeiro, primeiro mês com dados disponibilizados pelo portal. Caso o ritmo de saídas se mantenha, serão apenas 2.340 servidores em atividade ao fim deste ano, um déficit de 1.304 trabalhadores.

O sindicato da categoria aponta ainda que esse é o menor quadro funcional da carreira em 20 anos e a possibilidade de um déficit maior é grande com o aumento das aposentadorias, devido às novas regras da reforma da previdência.

O que leva a crer que o edital do novo concurso AFT não demora a ser publicado. Tradicionalmente, a seleção é realizada pelo o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (CESPE/UnB) ou pela Escola de Administração Fazendária (ESAF).

A expectativa é de que ocorra logo no primeiro semestre de 2018!

Vagas e salários

O pedido enviado ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG) foi de 1.190 vagas para a área fiscal, no cargo de Auditor-Fiscal do Trabalho, com exigência de nível superior em qualquer área.

A remuneração para o cargo é uma das mais atraentes da área, sendo desde janeiro de 2017, no valor de R$ 19.211,01, devendo ser acrescido ainda com auxílio alimentação no valor de R$ 458,00 e o bônus de eficiência, o qual gira em torno dos R$ 5.000,00.

Por isso é importante dar início aos seus estudos imediatamente! Além da excelente remuneração, os auditores contam com muitas prerrogativas e peculiaridades da função.

Lotação

Os aprovados poderão ser lotados em qualquer parte do país, o local será definido em ato do MTE, após homologação do resultado final do concurso, mediante o levantamento das unidades prioritárias, podendo recair sobre as Gerências Regionais do Trabalho e Emprego (GRTE) ou Sede das Superintendências Regionais do Trabalho e Emprego. Lembrando que os aprovados podem ser lotados nas unidades centrais do MTPS, ou em unidades descentralizadas espalhadas por todo o país.

No último concurso aberto os aprovados foram lotados nas superintendências regionais do Trabalho dos estados do Acre (4), Amazonas (24), Amapá (8), Bahia (7), Maranhão (1), Mato Grosso (6), Pará (20), Rondônia (20), Roraima (6) e Rio Grande do Sul (4).

Áreas de atuação

Os aprovados poderão atuar nas seguintes áreas:

Análise de Multas e Recursos: Realizar análise dos recursos relativos às autuações feitas por outros AFTs.

Relações do Trabalho: Atividade de mediação de conflitos entre empregados, empregadores e sindicatos, com vistas a ajudar as partes a chegarem a um acordo (sempre dentro da lei, lembre-se de que AFT não é juiz). Não é toda regional que tem essa atividade realizada por um AFT, mas ainda há muitos auditores com essa atribuição.

Chefias de fiscalização: Responsável por emitir as Ordens de Serviço e determinar quais empresas serão fiscalizadas e que denúncias serão atendidas, além de ser responsável pela organização da fiscalização do trabalho em sua regional.

Superintendentes e Gerentes Regionais: Ambos comandam as atividades administrativas de uma regional (estado ou região), sem ligação direta com a fiscalização. O gerente/superintendente comanda atividades administrativas como controlar o setor de emissão de carteiras de trabalho, aluguel predial, cuidar dos serviços de manutenção e limpeza, etc.

Secretaria de Inspeção do Trabalho: Órgão central, em Brasília. Atuação importante na definição dos rumos da fiscalização nacional, com normatização, planejamento, etc.

Externas: Um AFT externo recebe uma Ordem de Serviço, que indica o que e onde ele deverá fiscalizar. Após finalizar a inspeção, o servidor irá lançar um Relatório de Inspeção no sistema, indicando o que encontrou e o que autuou.

Último concurso

O último certame ocorreu em 2014 e foi organizada pelo Cespe/UnB. As vagas foram para o cargo de Agente, o exame contou com 120 tópicos, sendo 50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos, além de prova discursiva de conhecimentos específicos.

Em conhecimentos básicos foram cobrados temas de língua portuguesa, noções de informática, noções de direito administrativo, atualidades, ética no serviço público e noções de administração financeira e orçamentária. Em conhecimentos específicos, legislação específica, noções de gestão de pessoas nas organizações, noções de administração de recursos materiais, noções de arquivologia e noções de gestão e fiscalização de contratos e convênios.

Nova Concursos  tem ajudado há mais de 8 anos quem quer vencer a batalha do concurso público. Se você quer aumentar as suas chances de passar, conheça os nossos materiais, acessando o nosso site!

BAIXE GRÁTIS: Guia Definitivo Plano de Estudos Passo a Passo

Como Organizar sua Rotina, Cronograma de Rotina, Como Controlar a Ansiedade, Como estudar e fazer revisões, Técnica SMART e muito mais!

Acompanhe nossas

redes sociais