Compartilhar:

Decisão, foco, e claro, muito estudo

icone calendario 29 set 2015
emerson historias de sucesso

Emerson, sua esposa Ivete Schiavo Paulino e o Governador Geraldo Alckmin no dia da posse do cargo de Agente Fiscal de Rendas

Emerson Martin Paulino já foi aprovado em 3 concursos públicos. Hoje, com 43 anos, exerce o cargo de Agente Fiscal de Rendas na Secretaria da Fazenda. Mas já foi Oficial de Justiça e também foi aprovado no concurso de Auditor Fiscal Tributário Municipal da Prefeitura de São Paulo. O segredo para ser aprovado nesses concursos, segundo ele mesmo: “Decisão, foco, e claro, muito estudo.”

Confira sua trajetória, métodos de estudo, maiores incentivos e como alcançou seus objetivos.

O que fez você decidir que queria prestar concursos?
E: Foi por acaso, não era algo que eu pensava em fazer quando estava me formando. Quando terminei o curso de técnico em eletrônica, em 1990, a situação do país não estava nada propícia a quem queria ingressar no mercado de trabalho.
Aí alguém me falou que iria ter um concurso para a Receita Federal, acho que isso foi por volta de 1995. Comprei umas apostilas para estudar, não estudei nada, como resultado… óbvio que não passei. Foi assim que conheci e comecei no “mundo dos concursos”. Depois disso comecei a estudar para prestar as provas, vi que era algo que dependia só do meu próprio esforço, era um emprego que dependeria apenas de meu desempenho pessoal para conquistar, sem entrevistadores, sem analistas de curriculum.

Após a primeira aprovação, por que continuou estudando para outros?
E: É natural a gente querer evoluir, melhorar o cargo, ter mais reconhecimento, e isto é o fantástico do mundo dos concursos. Se você quer algo melhor, é só se esforçar, pois um outro cargo só depende de você, de seu próprio esforço.

Em quais concursos você passou?

Oficial de Justiça
Quando comecei a estudar para concursos, procurei o cargo que exigia nível médio e que tivesse uma remuneração mais atrativa, então decidi que iria ser Oficial de Justiça. Fiz cursos, comprei material de estudo, estudei bastante. Em 1996 prestei a prova na cidade de Guarulhos, eram 36 vagas e fiquei na colocação 42, se não me engano. Das 70 questões, errei três. Fui nomeado em 1999. Na época eu estava empregado na iniciativa privada, mas não pensei duas vezes antes de deixar o emprego e tomar posse no cargo.

Tentativas que não deram certo
Um belo dia, conversando com um colega também Oficial de Justiça, ele me falou sobre um cargo de Fiscal que pagava super bem. Esta conversa acendeu uma luzinha e pensei “É isso que eu quero”. Fui pesquisar e, para ser Fiscal, precisava ter nível universitário em qualquer área. Fui fazer um curso de Tecnologia em Gestão Financeira, e várias matérias do curso caem na prova de Fiscal. Me formei em 2005 e comecei a estudar e fazer cursos para a área fiscal. Em 2006 fiz a prova de Fiscal do Mato Grosso do Sul. Quase passei, fiquei fora por uma questão.

emerson historias de sucesso5

Emerson sobre como estudar “Se você não tiver método, vai acabar só estudando aquilo que gosta mais e isto não é bom. Por isso é preciso montar uma planilha de estudos”

AFTM Prefeitura de São Paulo
Em 2007 passei no concurso de AFTM (Auditor Fiscal Tributário Municipal) da Prefeitura de São Paulo, fiquei na posição 199, mas por uma questão política da época, nomearam somente até a posição 186. Entrei na Justiça pedindo a nomeação, o processo está no STJ aguardando julgamento. Não tenho mais interesse neste cargo, mas estou curioso em como o judiciário vai tratar esta questão. Este ocorrido no concurso de AFTM tirou um pouco da minha energia, perdi o foco, e no concurso de ICMS-SP de 2009, tive um bom desempenho, mas não consegui ficar dentro das vagas.

AFR SeFaz
Eu decidi que o ICMS-SP era o concurso que eu queria, decidi que iria ser Agente Fiscal de Rendas. Quando voltei aos cursos e aos estudos, finalmente passei no concurso de 2013. Fui nomeado e tomei posse em 11/03/2014. É meu cargo atual, Agente Fiscal de Rendas.

Qual o tipo de motivação você tinha para continuar estudando?
E: Por um tempo a motivação era o que eu iria conseguir financeiramente ao ter o cargo, mas esta motivação não funciona por um longo período, pelo menos para mim não. O que eu queria mesmo, e que me motivava mais, era a conquista, chegar lá, poder encostar a cabeça no travesseiro a noite e pensar – olha só o que você fez, olha só o que você conseguiu! É engraçado, mas ainda hoje, depois de um ano e meio de estar no cargo, às vezes ainda tenho este mesmo sentimento, e é “ bom pra caramba”, uma sensação de vitória muito grande, um alívio de ter lutado e conseguido.

Qual método você usava para estudar?
E: Fiz alguns cursos por vídeo conferência, também online, depois de ver todas as matérias, comecei a fase de estudos, propriamente dita. Só ir nas aulas não adianta, pois como é muita matéria, precisa ter a fase de fixação. Então, por recomendação de concurseiros profissionais, comecei a usar uma planilha de tempo de estudo alternando entre as matérias, procurando alternar entre “x” horas de estudo de uma matéria “decoreba” e “x” horas de estudo de uma matéria de exatas. Não sei se pode mencionar nomes aqui, mas se puder, quem estiver lendo, dá uma olhada nas técnicas de estudo ensinadas pelo Alexandre Meirelles, também AFR.

emerson historias de sucesso2

Ao contrário de muitos, a principal motivação para o Emerson continuar estudando não era a parte financeira, mas sim a sensação de conquista dos seus objetivos

Nos dias que antecedem as provas, você tinha algum tipo de preparação?
E: Os concursos para a área Fiscal requerem pelo menos um ano de aprendizado. Já soube de pessoas que passaram com seis meses de estudo, mas acho que são “pontos fora da curva”. O mês anterior à prova serve para revisão, refrescar a memória com as coisas já aprendidas, não recomento querer sair aprendendo coisas novas neste período. No último dia antes da prova, não fiz nada, não li nada, só fiquei relaxando.

Na hora de estudar, você focava em reforçar as matérias que tinha facilidade, ou estudar mais ainda as que não tinha afinidade?
E: Se você não tiver método, vai acabar só estudando aquilo que gosta mais e isto não é bom. Por isso é preciso montar uma planilha de estudos com todas as matérias que você vai estudar, não necessariamente todas as matérias do edital. Isso vai depender muito da prova que você vai fazer, se a matéria “x” tem peso 2, compensa estuda-la mais que uma outra que tem peso 1. Na planilha você coloca todas as matérias que vai estudar, escolhe o tempo que vai passar estudando cada uma delas, e vai alternando, estudando uma hora, uma hora e meia cada matéria, alternando entre elas.

Saiba mais sobre o Concurso Sefaz-SP

BAIXE GRÁTIS PDF com Previsões para 2020 + Cronograma de Estudos + Aulas para começar HOJE

Acompanhe nossas

redes sociais