Quanto ganham Servidores Públicos Federais

icone calendario 14 dez 2017

2018 promete ser um ano bem agitado no mundo dos concursos públicos! No dia 30 de outubro de 2017 o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, anunciou que o governo federal voltará a realizar concursos públicos em 2018.

Os certames estavam suspensos desde 2016, em razão da grave crise financeira. Saiba mais sobre a declaração aqui !

Se você sonha em começar 2018 como um servidor público, mas encontra dificuldade na hora de começar a estudar. A Nova Concursos traz diversos motivos que certamente irão te ajudar a manter o ânimo e o otimismo nos estudos.

Conheça como é composta a remuneração dos Servidores Públicos Federais e ainda descubra quanto ganham os servidores dos principais cargos do executivo federal que terão vagas abertas no próximo ano. Confira!

Como são compostas a remunerações?

– Remuneração Básica

É composta pela soma das parcelas remuneratórias correspondentes ao cargo efetivo, a função ou o cargo comissionado e pode contar ainda com os seguintes adicionais: adicional de certificação profissional, adicional de insalubridade, adicional de periculosidade, adicional noturno, adicional plantão hospitalar, adicional serviço extraordinário, adicional de sobreaviso, adicional de gestão educacional e adicional por tempo de serviço.

– Remuneração Eventual

Trata-se de valores extras, como nos exemplos a seguir:

Gratificação Natalina: Parcelas da Gratificação Natalina (13º) pagas em determinados meses ao servidor.

Férias: Adicional correspondente a 1/3 (um terço) da remuneração, pago ao servidor por ocasião das férias.

Outras remunerações eventuais: Valores pagos em decorrência de acertos de meses anteriores, exercícios anteriores ou decisões judiciais (estes valores não compõem a base de cálculo do teto constitucional).

– Deduções Obrigatórias

Como em qualquer trabalho, existem as deduções, como impostos e contribuições obrigatórias:

IRRF: Imposto de Renda Retido na Fonte, nos termos da legislação pertinente.

PSS/RGPS: Contribuição Previdenciária obrigatória, nos termos da legislação pertinente.

Demais Deduções: (excluídos os descontos pessoais) Referem-se ao adiantamento do adicional natalino, ao adiantamento de férias, ou outro acerto de pagamento, excluídos os descontos pessoais, tais como pensão alimentícia, empréstimos, planos de saúde e outros.

– Verbas Indenizatórias

Se referem as parcelas indenizatórias não enquadradas nos itens anteriores, tais como: auxílio natalidade, auxílio alimentação, auxílio bolsas de estudos, indenização de férias e aviso prévio, auxílio acidente de trabalho, salário educação, indenização de transporte, auxílio transporte, auxílio filho excepcional, auxílio creche / pré-escolar / escola, adicional natalidade, indenização de irradiação ionizante.

Valores pagos a título de auxílio moradia, ajuda de custo e diárias podem ser consultados em “Despesas – Pagamentos – Gastos Diretos do Governo”, opção “Favorecido – Pessoa Física”.

– Plano de Saúde

Os valores são definidos conforme as faixas de renda e de idade relativos à participação da União no custeio da assistência à saúde suplementar dos servidores ativos, aposentados e dependentes (plano de saúde). O atual valor inicia com R$ 149,52 para aqueles com 18 (dezoito) anos e remuneração até de R$ 1499,00; chegando até R$ 205,63 para os com 59 anos ou mais que possuam remuneração até R$ 1.499,00.

– Auxílio-creche

As formas de assistência a serem utilizadas neste caso são: berçário, maternal, ou assemelhados, jardim de infância e pré-escola, quantitativo de beneficiários, previsão de custos e cotas-partes dos servidores beneficiados.

A Portaria nº 10 estabelece o valor máximo a ser pago ao benefício de Assistência Pré-Escolar, o chamado auxílio-creche, fixado em R$ 321,00. O parâmetro seguido foi o valor mensal por aluno estimado pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) para a creche pública integral. O teto estipulado deverá ser observado em todas as unidades da Federação.

– Auxílio-alimentação

Trata-se de benefício concedido mensalmente a todos os servidores públicos federais civis ativos, em efetivo exercício, destinado a subsidiar as despesas com a refeição do servidor. O auxílio–alimentação, de caráter indenizatório, é concedido em pecúnia e pago, antecipadamente, na proporção dos dias trabalhados, salvo nas hipóteses de afastamento a serviço com percepção de diárias.

A Portaria nº 11 determina o valor de R$ 458,00 para o pagamento mensal do auxílio-alimentação. Houve acréscimo de 22,78% em relação ao valor anterior, de R$ 373,00. Foi usado no cálculo o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) medido pelo IBGE nos últimos três anos.

– Auxílio-Natalidade

O auxílio-natalidade é devido ao servidor(a) por motivo de nascimento de filho(a), em quantia equivalente ao menor vencimento do Serviço Público Federal vigente na data do nascimento. O auxílio somente será pago ao cônjuge ou companheiro servidor público, quando a parturiente não for servidora pública FEDERAL.

O auxílio-natalidade destina-se a auxiliar nas despesas do parto e outras despesas resultantes do nascimento de filhos, inclusive natimorto. O Valor do benefício é alterado anualmente. De acordo com a PORTARIA Nº 6, DE 16 DE JANEIRO DE 2017, atualmente o valor é de R$ 659,25.

– Abono Permanência

Benefício em pecúnia equivalente ao valor descontado ao Plano de Seguridade Social – PSS, concedido ao servidor que, tendo preenchido todos os requisitos para aposentadoria, prevista na legislação pertinente, manifeste opção de permanecer em atividade.

Neste benefício o servidor recebe de volta a contribuição previdenciária que pagaria (entre 11 e 14% do salário).

– Honorários

É a remuneração paga pela participação de Servidores como representantes da União em Conselhos de Administração e Fiscal ou órgãos equivalentes de empresas controladas direta ou indiretamente pela União. Trata-se de honorário fixo e mensal, conforme determinado pelo artigo 1º da Lei nº 9.292/1996.

Conforme prescreve a Lei 9.292/96, a remuneração mensal devida aos membros dos conselhos de administração e fiscal das empresas públicas e das sociedades de economia mista federais, bem como das demais entidades controladas direta ou indiretamente pela União, não excederá, em nenhuma hipótese, a dez por cento da remuneração mensal média dos diretores das respectivas empresas.

A remuneração só será devida ao membro suplente do conselho fiscal no mês em que comparecer a reuniões do conselho a que pertencer, conforme registro em ata, no livro próprio.

Quanto ganham os Servidores Públicos Federais

Conheça agora quais os vencimentos para os seguintes cargos:

Carreiras Jurídicas

Advogado da União, Procurador da Fazenda Nacional, Procurador Federal, Procurador do Banco Central do Brasil e quadros suplementares em extinção previstos.

O salário em 2017 é de R$ 19.197,67 e em 2020, após reajustes, será de R$ 21.014,49.

Além de da Remuneração básica, ainda compõe os ganhos mensais dos cargos que compõem a carreira jurídica os honorários advocatícios de sucumbência das causas em que forem parte a União, as autarquias e as fundações públicas federais pertencem originariamente aos ocupantes dos cargos de advogado da união, Procurador da Fazenda Nacional, Procurador Federal, Procurador do Banco Central do Brasil e quadros suplementares em extinção previstos. De acordo com pesquisa realizada junto ao portal de transparência os honorários advocatícios referente ao mês de setembro de 2017 foi de R$ 6.032,16.

Carreira de Especialista do Banco Central do Brasil

O salários inicial para o cargo de Analista do Banco Central classe A I, em 1º de janeiro de 2017, é de R$ 16.933,64, enquanto o valor final para este mesmo cargo de classe Especial, em 1º de janeiro de 2017, é de R$ 24.142,65.

Carreira de Gestão Governamental

Conheça agora quais os vencimentos para os seguintes cargos: Auditor Federal de Finanças e Controle, Analista de Planejamento e Orçamento, Analista de Comércio Exterior, Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental e Analista da Comissão de Valores Mobiliários.

A remuneração inicial para os cargos do ciclo de gestão governamental classe A I, em 1º de janeiro de 2017, é de R$ 15.003,70, enquanto o valor final para estes mesmos cargos de classe Especial, em 1º de janeiro de 2017, é de R$ 21.391,10.

Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil

O vencimento-básico para o cargo de Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil segunda classe I, em 1º de janeiro de 2017, é de R$ 19.211,01, enquanto o valor final para este mesmo cargo de classe Especial III, em 1º de janeiro de 2017, é de R$ 24.943,07.

Defensor Público

O salário inicial para o cargo de Defensor Público segunda categoria, em 1º de janeiro de 2017, é de R$ 22.197,67, enquanto o valor final para este mesmo cargo de classe Especial, em 1º de janeiro de 2017, é de R$ 27.905,25.

Delegado da Polícia Federal e Perito da Polícia Federal

O subsídio inicial para os cargos de Delegado da Polícia Federal e Perito da Polícia Federal de terceira categoria, em 1º de janeiro de 2017, é de R$ 21.644,37, enquanto o valor final para este mesmo cargo de classe Especial, em 1º de janeiro de 2017, é de R$ 28.262,24.

Carreira de Policial Rodoviário Federal

A remuneração inicial para os cargos de Delegado da Polícia Federal e Perito da Polícia Federal de terceira categoria, em 1º de janeiro de 2017, é de R$ 9.043,98, enquanto o valor final para este mesmo cargo de classe Especial, em 1º de janeiro de 2017, é de R$ 15.121,30.

Agora que você já sabe quanto recebem os principais cargos Públicos Federais é hora de escolher sua vaga e dar início a sua preparação.

Bons estudos!

Nova Concursos  tem ajudado há mais de 8 anos quem quer vencer a batalha do concurso público. Se você quer aumentar as suas chances de passar, conheça os nossos materiais, acessando o nosso site!

BAIXE GRÁTIS: Guia Definitivo Plano de Estudos Passo a Passo

Como Organizar sua Rotina, Cronograma de Rotina, Como Controlar a Ansiedade, Como estudar e fazer revisões, Técnica SMART e muito mais!

Acompanhe nossas

redes sociais