Pesquisar no blog

Carta aos Assinantes n°04: resumos e revisões.

icone calendario 25 jul 2022

Os dois maiores erros dos concurseiros que ninguém conta

Vou ser bem direto e objetivo: resumos e revisões.

Vamos começar pelos resumos. As pessoas que estão iniciando os estudos, começam a fazer seus resumos e, obviamente, por não terem estudado ainda o assunto e não terem feito questões acerca do tema, NÃO SABEM O QUE É IMPORTANTE.

Qual é o resultado disso?

Acabam enchendo o resumo de coisas desnecessárias, grifam quase que a apostila inteira e acabam gastando um tempo enorme para revisar o assunto, pois o resumo foi mal feito.

Muitos irão assustar com o que vou dizer, mas é melhor não fazer resumo ou fazer um resumo bem sucinto e objetivo. O resumo adequado é aquele que é feito com palavras-chave postas sobre post-it ou anotações em uma folha mesmo, mas que seja apenas para memorizar com qualidade um determinado ponto. Somente quando for fazer as questões é que realmente irá saber se aquilo que julgou ser importante é cobrado com intensidade.

Assim, é possível compor seu resumo, que será seu material de revisão, com mapas mentais, esquemas ou palavras-chave daqueles tópicos mais cobrados e, após isso, esse estudo inicial com qualidade é que poderá aprofundar mais no assunto. Veja um exemplo abaixo da Lei de Contravenções Penais:

Outro exemplo, agora da Lei de Prisão Temporária:

Perceba que você não demora 10 minutos para ler os pontos mais importantes da legislação e são os assuntos mais cobrados. Assim é um estudo de qualidade. Aprofundar é importante, mas mais do que isso, é essencial ter uma boa base.

O segundo erro é sobre as revisões: os Concurseiros vão estudando os assuntos e esquecem de fazer adequadamente suas revisões. Hermann Ebbinghaus é o autor de um gráfico que mostra a curva do esquecimento. Segundo ele, a repetição é um fator decisivo e essencial para uma maior retenção daquilo que aprendemos, a quantidade de informações que o cérebro humano retém decai significativamente com o passar do tempo.

Entretanto, a repetição eleva este patamar a cada revisão, fixando cada vez maior parte do conteúdo, convertendo-o em conhecimento. Dessa maneira você não precisa de nenhum milagre farmacêutico para reter os conteúdos estudados, basta levar a sério o sistema de revisão periódica!

Veja abaixo o gráfico desenvolvido por esse autor:

Claro que os dados não são absolutos, mas é um bom índice para entendermos que não captamos 100% do que estudamos na primeira vez e a cada revisão percebemos pontos importantes novos. Assim, em apenas um dia, nós esquecemos mais que 50% do conteúdo absorvido. Com esse e outros dados, é possível planejar revisões eficazes em tempos adequados para que a curva do esquecimento não te atormente.

Acompanhe nossas

redes sociais