Pesquisar no blog

Censipam recebe autorização para convocar 50 aprovados. Confira!

icone calendario 05 fev 2024

O concurso Censipam já tem aval para chamar os 50 candidatos das vagas imediatas. Foram oportunidades para o cargo de Analista em Ciência e Tecnologia Júnior.

Estude para o concurso dos seus sonhos com o Método que já ajudou na aprovação de mais de 70 mil alunos. Clique aqui  e saiba mais!

Quando serão as convocações do Censipam?

Em breve os contratados já estarão atuando. Isso porque o Governo Federal já autorizou a nomeação das 50 vagas imediatas ofertadas na seleção de efetivos.

Foram vagas para o cargo de Analista em Ciência e Tecnologia Júnior. Assim, a portaria esteve assinada pela ministra da Gestão e Inovação, Esther Dweck.

Aliás, a portaria esteve publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 5 de fevereiro. Mas, só em breve é que o órgão deve anunciar as regras para posse dos aprovados.

Confira a convocação !

Além disso, o documento citou ainda que a responsabilidade pela verificação prévia das condições, para a nomeação dos candidatos aprovados no concurso, será do próprio Censipam.

O que já se sabe, aliás, é que as oportunidades são efetivas e estão distribuídas pelas cidades de Brasília DF, Belém PA, Manaus AM e Porto Velho RO.

Concurso Censipam terá cadastro de reserva?

Com certeza! Além das 50 vagas imediatas, o edital da Censipam ainda prevê a formação de um cadastro de reserva com 150 vagas.

Assim, ele poderá ser usado durante toda a validade do concurso, que esteve homologado e com o resultado final publicado em dezembro de 2023.

Lembrando ainda que a validade deste concurso Censipam será de dois anos, podendo ser prorrogado uma vez por igual período.

A carreira exigiu o nível superior. Além disso, as oportunidades contemplaram diferentes áreas de atuação, com salários variando de R$6.662,68 a R$10.823,89, de acordo com a titulação.

  • Analista em Ciência e Tecnologia – Telemática – Desenvolvimento e Banco de Dados
    • Requisito: diploma de conclusão de curso de graduação de nível superior em Ciência da Computação, ou Engenharia da Computação, ou Engenharia Eletrônica, ou Engenharia de Telecomunicações, ou Engenharia de Sistemas, ou Tecnologia da Informação, ou Processamento de Dados.
  • Analista em Ciência e Tecnologia – Redes, Serviços de Redes e Suporte
    • Requisito: diploma de conclusão de curso de graduação de nível superior em Ciência da Computação, ou Engenharia da Computação, ou Engenharia Eletrônica, ou Engenharia de Telecomunicações, ou Engenharia de Sistemas, ou Tecnologia da Informação, ou Processamento de Dados.
  • Analista em Ciência e Tecnologia – Telecomunicações
    • Requisito: diploma de conclusão de curso de graduação de nível superior em Engenharia Eletrônica ou Telecomunicações.
  • Analista em Ciência e Tecnologia – Meteorologia
    • Requisito: diploma de conclusão de curso de graduação de nível superior em Meteorologia.
  • Analista em Ciência e Tecnologia – Sensoriamento Remoto
    • Requisito: diploma de conclusão curso superior completo.

Quer saber de mais editais de concursos previstos no país? Clique e confira !

O que faz um Analista em Ciência e Tecnologia Júnior?

  • Telemática – Desenvolvimento e Banco de Dados: desenvolvimento de software e administração de banco de dados; elaborar plano estratégico de Análise de Sistemas, ou Tecnologia da Informação, entre outras.
  • Redes, Serviços de Redes e Suporte: gerenciar Redes, Serviços de Rede e Suporte de TIC, entre outras.
  • Telecomunicações: instalar, configurar e gerenciar a rede WAN satelital, a rede de telefonia e as redes metropolitanas, entre outras.
  • Meteorologia: executar previsão e monitoramento do tempo, operação e rotinas operacionais de previsão numérica do tempo, entre outras.
  • Sensoriamento Remoto: utilizar softwares de Processamento Digital de Imagem e Sistema de Informação Geográfica (SIG), mapeamento digital aplicado a estudos ambientais, entre outras.

Sobre CENSIPAM

As principais atribuições do Censipam são propor, acompanhar, implementar e executar as políticas, diretrizes e ações do Sistema de Proteção da Amazônia, sendo responsável por sua gestão.

Dessa forma, as atividades individualizadas realizadas por diversos órgãos e agentes governamentais passaram a ser compartilhadas, favorecendo a disseminação de conhecimento e evitando a duplicidade de ações na Amazônia.

Materiais Relacionados

Notícias relacionadas

Acompanhe nossas

redes sociais