Concurso Casa da Moeda: Órgão tem quadro de pessoal fixado em 1.978 vagas!

Na pauta de privatizações do Governo Federal e sem um novo concurso Casa da Moeda, órgão teve seu quadro de servidores fixado em 1.978 vagas. O limite para o quantitativo de pessoal do órgão, irá contar com 1.878 vagas para o quadro permanente e 100 vagas para o quadro transitório. Vale lembrar, que no mês de agosto do ano passado, o p...

Status do concurso: Previsto

e-Book Grátis para Você!

Guia Plano de Estudos Passo a Passo. Receba Agora!

Na pauta de privatizações do Governo Federal e sem um novo concurso Casa da Moeda, órgão teve seu quadro de servidores fixado em 1.978 vagas.

O limite para o quantitativo de pessoal do órgão, irá contar com 1.878 vagas para o quadro permanente e 100 vagas para o quadro transitório. Vale lembrar, que no mês de agosto do ano passado, o presidente Jair Bolsonaro, publicou uma lista com as estatais que poderão ser privatizadas nos próximos anos. A relação conta com a privatização da Casa da Moeda do Brasil.

Quadro de servidores no concurso Casa da Moeda

Sem previsão de realização do concurso Casa da Moeda, órgão teve seu quadro de pessoal fixado pelo Ministério da Economia. De acordo com a portaria publicada no Diário Oficial da União, a CMB passa a contar agora com 1.978 vagas.

O limite para o quantitativo de servidores próprio da Casa da Moeda do Brasil (CMB) contará com 1.878 vagas para o quadro permanente, e 100 vagas para o quadro transitório.

Segundo o Governo Federal, para fins de controle de limite do quantitativo de servidores, foram considerados os empregados:

– Efetivos admitidos por concursos públicos;

– Efetivos admitidos sem concurso antes de 5 de outubro de 1988;

– Com cargos, empregos ou funções comissionadas;

– Cedidos ou disponibilizados para outros órgãos ou entidades;

– Cedidos ou requeridos de outros órgãos ou entidades;

– Anistiados com base na Lei nº 8.878, de 11 de maio de 1994;

– Readmitidos e reintegrados;

– Contratados por prazo determinado (temporários);

– Empregados ou servidores movimentados para compor força de trabalho conforme disposto no art. 93, § 7º, da Lei nº 8.112/90;

– Aqueles com contrato de trabalho interrompido ou suspenso, à exceção dos empregados suspensos por motivo de aposentadoria por invalidez.

Ainda conforme a portaria, compete à Casa da Moeda gerenciar o seu quantitativo de pessoal próprio, praticando atos de gestão para contratar ou desligar empregados, desde que observado o limite estabelecido e as dotações orçamentárias aprovadas para cada exercício.

Casa da Moeda está na pauta de privatização do Governo

No mês de agosto de 2019, o governo do presidente Jair Bolsonaro, publicou uma lista com as estatais que poderão ser privatizadas nos próximos anos. A relação conta com a privatização da Casa da Moeda.

Vale ressaltar que, apesar da lista divulgada, o plano de privatização da Casa da Moeda do Brasil já estava em pauta desde o governo do ex-presidente Michel Temer. Na ocasião, em 2018, foi criada a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Casa da Moeda do Brasil, com o objetivo de trabalhar a valorização da estatal.

“A criação da frente é um avanço importante em defesa da soberania nacional. O governo, além de comprar papel-moeda do exterior, ameaça a centenária indústria com a privatização”, informou o deputado Celso Pansera (PMDB-RJ).

Ainda no ano de 2018, foi afirmado pelo presidente do Sindicato Nacional dos Moedeiros que a privatização da Casa da Moeda é o prenúncio de um ataque maior, na tentativa de subordinar a economia do país aos interesses de bancos privados.

“O ataque à nossa capacidade de produção do meio circulante, nossa moeda, responsável por intermediar todas as transações comerciais em nosso país, é um erro estratégico que poderá abortar o futuro do nosso país como potência mundial”, ressaltou o presidente do Sindicato.

No ano de 2019, em uma audiência na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), o deputado estadual Waldeck Carneiro falou sobre a possível privatização da Casa da Moeda.

“O trabalho da Casa da Moeda é crucial para a afirmação do conceito de nação soberana. Não faz nenhum sentido que uma empresa que realiza um trabalho absolutamente indispensável, gerando trabalho e renda no estado, seja privatizada”, relatou o parlamentar.

Sobre a Casa da Moeda

A Casa da Moeda do Brasil foi fundada em 8 de março de 1694, como solução para o problema da falta de instrumentos que auxiliassem a circulação das riquezas no Brasil Colonial. Naquela época, as poucas moedas existentes vinham de Portugal ou eram conseguidas do comércio com viajantes estrangeiros. Por isso, o rei de Portugal, D. Pedro II, autorizou a cunhagem de moedas provinciais, genuinamente brasileiras. Desde então, a Casa da Moeda do Brasil vem cumprindo sua função de dar segurança à sociedade brasileira, a qual lida no seu cotidiano com inúmeros produtos e serviços oferecidos pela Casa da Moeda.

O complexo industrial, localizado em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, é um dos maiores do gênero no mundo e o maior da América Latina. No local, funcionam as fábricas da empresa onde são desenvolvidos produtos com o elevado padrão de qualidade exigido no mercado moderno, com capacidade instalada para produzir aproximadamente 2.6 bilhões de cédulas e 4 bilhões de moedas por ano, assegurando autossuficiência para a produção nacional do meio circulante.

A Casa da Moeda do Brasil continua indo além, alinhada com as transformações tecnológicas e sempre preocupada em incorporar elementos de segurança baseados em soluções digitais, possui uma Sala Cofre categoria Tier 3 com área de 119m², redundante nos aspectos de energia elétrica, climatização e conectividade, com os mais altos padrões de segurança exigidos.

Missão

Prover soluções físicas e digitais nos segmentos de meios monetários, impressos de segurança, identificação e rastreabilidade.

Visão

Ser competitiva com qualidade e sustentabilidade.

Valores

– Integridade: Primar pela Ética e Transparência;

– Inovação: Aplicar novas ideias conceitos e práticas;

– Meritocracia: Reconhecer e valorizar pessoas pelo resultado;

– Comprometimento: Fé, Lealdade, Dedicação e Trabalho.

Último concurso Casa da Moeda

O último concurso Casa da Moeda teve seu edital publicado no ano de 2012. Na ocasião, foram ofertadas 1.015 vagas, sendo 27 vagas de caráter imediato e 998 vagas para formação de cadastro reserva. As oportunidades foram distribuídas por cargos de níveis médio, técnico e superior.

Foram ofertadas vagas nas carreiras de Assistente Técnico Administrativo, Auxiliar de Operação Industrial, Técnico Industrial e Analista da Casa da Moeda. As chances foram distribuídas por diversas especialidades. Os salários iniciais variaram entre R$ 1.395,10 e R$ 3.592,98.

O concurso Casa da Moeda atraiu cerca de 42.000 candidatos. Os participantes foram avaliados por meio de prova objetiva, composta por 30 questões sobre as seguintes disciplinas: Língua Portuguesa, Matemática, Informática, Língua Inglesa e Conhecimentos Específicos.

Para ter sido considerado aprovado, foi necessário o candidato obter 50% ou mais dos pontos da prova, além de não obter nota igual a zero em qualquer disciplina. Os novos funcionários foram contratados por meio do regime CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

Histórico de Notícias

29/07/2020

Concurso Casa da Moeda: Quadro de servidores é fixado com 1.978 vagas!

Na pauta de privatizações do Governo Federal e sem um novo concurso Casa da Moeda, órgão teve seu quadro de servidores fixado em 1.978 vagas.

Continuar lendo
Acompanhe nossas

redes sociais