Concurso Ministério da Justiça: Solicitado edital com 365 vagas para os níveis médio, médio/técnico e superior!

Foi confirmado pelo Ministério da Justiça e da Segurança Pública, que solicitou ao Ministério da Economia um pedido para concurso com edital ofertando 365 vagas. As oportunidades serão para Analista Técnico de Políticas Sociais, da carreira de desenvolvimento de políticas sociais e para cargos do Pode Executivo contemplando várias área...

Status do concurso: Previsto

e-Book Grátis para Você!

Guia Plano de Estudos Passo a Passo. Receba Agora!

Foi confirmado pelo Ministério da Justiça e da Segurança Pública, que solicitou ao Ministério da Economia um pedido para concurso com edital ofertando 365 vagas.

As oportunidades serão para Analista Técnico de Políticas Sociais, da carreira de desenvolvimento de políticas sociais e para cargos do Pode Executivo contemplando várias áreas. A exigência será que os candidatos tenham níveis médio, médio/técnico e superior!

Pedido do novo concurso Ministério da Justiça

Uma nova solicitação para certame foi confirmado e está em análise no governo. Dessa vez, a confirmação é do concurso Ministério da Justiça e da Segurança Pública.

A solicitação foi para 365 vagas efetivas para preencher cargos em atividades-fim. As carreiras contempladas são de níveis médio, médio/técnico e superior.

Além do quantitativo de vagas, também foi confirmado pelo Ministério da Justiça e da Segurança Pública os cargos que serão ofertados, sendo eles:

  • 115 vagas para Analista Técnico de Políticas Sociais, da carreira de desenvolvimento de políticas sociais;
  • 250 vagas de níveis superior e intermediário do plano geral de cargos do Poder Executivo.

Portando, as 250 vagas ficam distribuídas da seguinte forma:

  • Administrador: 8 vagas;
  • Analista Técnico-Administrativo: 117 vagas;
  • Arquiteto: 1 vaga;
  • Arquivista: 1 vaga;
  • Assistente Social: 1 vaga;
  • Bibliotecário: 2 vagas;
  • Contador: 4 vagas;
  • Economista: 3 vagas;
  • Enfermeiro: 1 vaga;
  • Engenheiro: 7 vagas;
  • Estatístico: 1 vaga;
  • Médico: 4 vagas;
  • Psicólogo: 3 vagas;
  • Técnico em Assuntos Educacionais: 7 vagas;
  • Agente Administrativo: 87 vagas;
  • Técnico em Contabilidade: 3 vagas.

Todos os órgãos federais tiveram até 31 de maio de 2020, para protocolar seus pedidos no Ministério da Economia. Agora, as solicitações serão analisadas e podem ser autorizadas a qualquer momento.

Concurso Ministério da Justiça temporários

No ano de 2020, o Ministério da Justiça e da Segurança Pública publicou um edital para contratar 35 temporários em três cargos distintos. O certame já encerrou o prazo para inscrição.

As oportunidades foram distribuídas nos cargos de Analista de Governança de Dados – Big Data (13 vagas), Cientista de Dados – Big Data (12 vagas) e Engenheiro de Dados – Big Data (10 vagas).

Segundo informações do edital, em todos os casos a exigência é o nível superior ou pós-graduação na área de Informática/Computação e experiência superior a cinco anos no ramo. Ainda é preciso, ter disponibilidade para atuação em Brasília/DF.

A banca organizadora responsável pela execução do certame é o Instituto AOCP, e as provas estão previstas para serem aplicadas no dia 02 de agosto de 2020.

A prova objetiva será composta por 60 questões, englobando as seguintes disciplinas: Língua Portuguesa (10 questões), Língua Inglesa (05 questões), Raciocínio Lógico (05 questões) e Conhecimentos Específicos de Informática (40 questões).

Para ser considerado aprovado, o candidato deverá acertar, no mínimo, uma questão em cada área de conhecimento e obter 40% ou mais do total de pontos previstos para Conhecimentos Específicos de Informática e 30% ou mais do total de pontos previstos para o conjunto das demais áreas da prova.

O salário inicial tem o valor de R$ 8.300,00, os candidatos aprovados irão atuar com jornada de 40 horas semanais e serão contratados conforme o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), no quadro de profissionais do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Até 125 candidatos serão considerados aprovados. Dessa maneira, além das 35 vagas, mais 90 concorrentes poderão ser convocados durante o prazo de validade do certame, que será de dois anos, cabendo prorrogação por igual período.

Requisitos e atribuições dos cargos no concurso Ministério da Justiça

Requisitos

Analista Técnico-Administrativo: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em qualquer área de formação, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

Administrador: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Administração, fornecido por instituição de ensino reconhecida pelo MEC, e registro no órgão de classe.

Contador: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Ciências Contábeis, fornecido por instituição de ensino reconhecida pelo MEC, e registro no órgão de classe.

Economista: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Ciências Econômicas, fornecido por instituição de ensino reconhecida pelo MEC, e registro no órgão de classe.

Engenheiro Civil: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Engenharia Civil, fornecido por instituição de ensino reconhecida pelo MEC, e registro no órgão de classe.

Engenheiro Elétrico: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Engenharia Elétrica fornecido por instituição de ensino reconhecida pelo MEC, e registro ou inscrição na entidade profissional competente.

Atribuições

Analista Técnico-Administrativo: planejar, supervisionar, coordenar, controlar, acompanhar a execução de atividades técnicas e especializadas, de nível superior, necessárias ao exercício das competências constitucionais e legais a cargo do Ministério da Justiça, bem como à implementação de políticas e à realização de estudos e pesquisas na sua área de atuação, ressalvadas as atividades privativas de carreiras específicas.

Administrador: realizar pesquisas, estudos, análise, interpretação, planejamento, execução, coordenação e controle de trabalhos nos campos da administração, organização e métodos, logística, orçamento e finanças, bem como outros campos em que esses se desdobrem ou aos quais sejam conexos; elaborar pareceres, relatórios, planos, projetos, laudos, realizar exercício de outras atividades reconhecidas como do profissional de Administração.

Contador: gerenciar, coordenar e executar atividades orçamentárias, financeiras, contábeis, patrimoniais e de custos; realizar auditoria contábil e financeira; elaborar normas, relatórios e emitir pareceres; interpretar e aplicar a legislação econômico-fiscal, tributária e  financeira; coordenar e executar atividades referentes à elaboração, à revisão e ao acompanhamento de programação orçamentária e financeira anual e plurianual; acompanhar a gestão de recursos públicos e o exercício de outras atividades reconhecidas como do profissional de Ciências Contábeis.

Economista: supervisionar, orientar e coordenar a execução de serviços relativos a propostas orçamentárias, projeções de despesas, custos de serviços, projeções de balanços, acompanhamento orçamentário e outros assuntos econômico-financeiros; realizar estudos, pesquisas, análises e interpretações da legislação econômico-financeira; realizar estudos, pesquisas, análises e interpretações da legislação econômico-fiscal e orçamentária; planejar, definir e coordenar a metodologia e a execução de pesquisas e estudos econômicos, financeiros e estatísticos; orientar e participar da elaboração dos planos e programas orçamentários; acompanhar as alterações da legislação financeira; efetuar levantamentos destinados à estruturação de indicadores para acompanhamento de programas de trabalho; realizar estudos econômicos e financeiros, apresentando soluções para consultas formuladas; emitir parecer sobre assuntos econômicos, sugerindo soluções que atendam a problemática econômica financeira; efetuar cálculos de estimativa de custo e o exercício de outras atividades reconhecidas como do profissional de Economia.

Engenheiro Civil: executar, supervisionar, planejar e coordenar atividades no campo de engenharia civil; elaborar projetos e especificações; supervisionar, planejar e coordenar a execução de obras, construção, reformas ou ampliação de prédios necessários às atividades do serviço; desenvolver estudos para a racionalização de processos de construção; prestar assistência técnico gerencial em sua área de atuação; emitir laudos e pareceres; propor normas; fornecer dados estatísticos de sua especialidade elaborar orçamentos e estudos sobre viabilidades econômicas e técnicas e o exercício de outras atividades reconhecidas como do profissional de Engenharia.

Engenheiro Elétrico: executar, supervisionar, planejar e coordenar atividades no campo de engenharia elétrica; elaborar estudos, projetos e especificações de instalações elétricas de baixa e alta tensão; supervisionar obras, construção, reformas ou ampliação de prédios, na parte referente às instalações elétricas de baixa e alta tensão necessárias às atividades do serviço; prestar assistência técnico-gerencial em sua área de atuação; emitir laudos e pareceres; propor normas; fornecer dados estatísticos de suas especialidades; elaborar orçamentos e estudos sobre viabilidades econômicas e técnicas e o exercício de outras atividades reconhecidas como do profissional de Engenharia.

Sobre o Ministério da Justiça e da Segurança Pública

Em 03 de julho de 1822, o Príncipe Regente D. Pedro, em decreto referendado por José Bonifácio de Andrada e Silva, criava a Secretaria de Estado de Negócios da Justiça, com nomeação do Ministro Caetano Pinto, dando início à longa história do Ministério da Justiça.

Vultos eminentes do Império e da República ocuparam-no, na busca pelo aprimoramento das instituições jurídicas, promovendo melhorias nos serviços judiciários e a harmonia entre os poderes.

A atual sede do Ministério foi inaugurada aos mesmos 03 de julho, do ano de 1972. A obra, um projeto de Lúcio Costa e Oscar Niemeyer, consiste em uma estrutura gótica e moderna, com a exploração do concreto e do aço, tendo a forma como sua principal razão.

O projeto exprime uma unidade harmoniosa, constituindo-se em uma obra de arte. Suas fachadas são diversificadas, ostentando em cada ponto cardeal nova aparência, onde se vê arcos, marquises, pilares retangulares e lâminas de concreto. O núcleo da edificação, um quadrado perfeito constituído de alumínio e vidros fumê, é resguardado das chuvas e dos rigores solares do Planalto Central, assim como a excessiva luminosidade local.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública – MJSP é um órgão da administração pública federal direta, que tem dentre suas competências a defesa da ordem jurídica, dos direitos políticos e das garantias constitucionais; a coordenação do Sistema Único de Segurança Pública; e a defesa da ordem econômica nacional e dos direitos do consumidor. O MJSP atua também no combate ao tráfico de drogas e crimes conexos, inclusive por meio da recuperação de ativos que financiem essas atividades criminosas ou dela resultem, bem como na prevenção e combate à corrupção, à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo.

Último concurso Ministério da Justiça

A pasta sofreu uma junção após a posse do presidente da República, Jair Bolsonaro. Ela passou de Ministério da Justiça para Ministério da Justiça e da Segurança Pública, este seria o primeiro concurso após a unificação.

Apenas como Ministério da Justiça, o último certame teve seu edital divulgado no ano de 2013, cuja validade já foi expirada. Na ocasião, foram ofertadas 125 vagas para cargos de nível superior.

A banca organizadora responsável pela execução da seleção, foi o Cebraspe. Para o próximo concurso, somente será conhecida a banca após a autorização ser publicada. A partir daí, o Ministério da Justiça e Segurança Pública pode iniciar os preparativos.

A avaliação dos candidatos foi por meio de provas objetivas e provas discursivas, sendo ambas de caráter eliminatório e classificatório. No exame objetivo, as disciplinas cobradas foram:

– Língua Portuguesa;

– Noções de Informática;

– Raciocínio Lógico;

– Noções de Direito Constitucional;

– Noções de Direito Administrativo (exceto para o Analista Técnico Administrativo);

– Legislação Específica;

– Atualidades (somente para o Analista Técnico Administrativo);

– Conhecimentos Específicos.

Materiais Relacionados

Histórico de Notícias

07/07/2020

Concurso Ministério da Justiça: Solicitação de edital com 365 vagas é confirmado!

Confirmado pelo Ministério da Justiça e da Segurança Pública, que enviou ao Ministério da Economia um pedido para concurso com edital ofertando 365 vagas.

Continuar lendo
Acompanhe nossas

redes sociais