Concurso PC PR: Novo edital com 400 vagas anunciado!

Foi anunciado o novo concurso PC PR (Polícia Civil do Paraná)! A oferta será de 400 vagas para diversos cargos. A informação partiu do governador Carlos Massa Ratinho Junior, em comunicado realizado no Palácio do Iguaçú, em Curitiba (PR). Das 400 vagas, 150 serão destinadas aos cargos de Delegado, Investigador e Papiloscopista, com 50 ...

Status do concurso: Previsto

Materiais disponíveis

Apostilas PC - PR - Polícia Civil Paraná

Foi anunciado o novo concurso PC PR (Polícia Civil do Paraná)! A oferta será de 400 vagas para diversos cargos.

A informação partiu do governador Carlos Massa Ratinho Junior, em comunicado realizado no Palácio do Iguaçú, em Curitiba (PR). Das 400 vagas, 150 serão destinadas aos cargos de Delegado, Investigador e Papiloscopista, com 50 vagas cada um. As vagas restantes serão divididas entre outros cargos, que ainda serão definidos.

Vagas ofertadas no concurso PC PR

O certame conta com alguns cargos confirmados:

• Delegado

• Investigador

• Papiloscopista.

Serão 50 vagas ofertadas para cada cargo, sendo que 250 ainda serão distribuídas posteriormente.

Requisitos básicos

• Ser brasileiro nato ou naturalizado, ou, no caso de nacionalidade portuguesa, estar amparado pelo Estatuto de Igualdade entre brasileiros e portugueses, com reconhecimento do gozo dos direitos políticos na forma do disposto no art. 13 do Decreto n.º 70.436, 18/04/1972;

• Ter, no mínimo, 21 anos de idade;

• Gozar dos direitos civis e políticos;

• Estar quite com as obrigações eleitorais;

• Estar quite com as obrigações do serviço militar, para os candidatos do sexo masculino;

• Não estar incompatibilizado com nova investidura em cargo público;

• Possuir diploma, devidamente registrado, de conclusão de qualquer curso de graduação de nível superior, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação ou certidão que comprove ter o candidato colado grau e, neste caso, com a comprovação de estar sendo providenciado o registro do diploma, na forma da lei;

• Não possuir condenação criminal transitada em julgado, nem responder a processo penal por crime que o incompatibilize a exercer a função de escrivão de polícia;

• Não ter sofrido penalidades nem ter praticado atos desabonadores no exercício da função pública, da advocacia ou da atividade privada;

• Não ter títulos protestados e não ter sofrido execução judicial, bem como não ter respondido a ações cíveis, condições sujeitas à análise da Comissão do Concurso Público, que deliberará fundamentadamente pela declaração de situação desabonadora ou não

• Possuir Carteira Nacional de Habilitação para dirigir veículos automotores, com exame de saúde dentro do prazo de validade, na categoria B ou superior.

Salários

A tabela com o atual vencimento dos cargos ofertados pelo concurso PC PR é a seguinte:

O que faz um Escrivão da Polícia Civil do Paraná?

• Cumprir e fazer cumprir as ordens, despachos ou determinações emanadas do Delegado de Polícia Titular da Unidade Policial ou da que preside o procedimento investigatório;

• Dirigir e fiscalizar os trabalhos cartorários, da Corregedoria, Delegacias Especializadas, Distritos Policiais e demais Delegacias de Polícia;

• Lavrar e subscrever os autos e termos adotados na mecânica processual, sob a orientação do Delegado de Polícia;

• Fiscalizar a continuidade dos processos ou inquéritos distribuídos, providenciando a sua normalidade seqüencial;

• Expedir certidões a requerimento das partes, firmadas por Delegado de Polícia e após despacho autorizatório deste;

• Fornecer certidões verbum ad verbum de pessoas processuais quando deferidas pelo Delegado de Polícia;

• Proceder, quando determinado, a todos os termos de natureza processual bem como autos de prisão em flagrante, apreensão, depósito, acareação, reconhecimento, qualificação, interrogatório; colheita de material gráfico; termos de declaração, fiança, compromisso, representação; expedir mandados de intimação, busca e apreensão e demais autos e termos processuais; subscrevendo-os quando formalizados por auxiliares;

• Subscrever os termos de recebimento, juntada, conclusão, remessa, vista, abertura de volume e encerramento de volume;

• Proceder ou mandar proceder a todo serviço de expediente e estatístico, atinente à unidade (Cartório);

• Auxiliar às correições procedidas, prestando as informações solicitadas;

• Lavrar os termos de abertura e encerramento dos livros do Cartório e outros adotados oficialmente;

• Levantar, mensalmente, os mapas de movimento do Cartório e mais dados estatísticos referentes, remetendo-os a quem de direito;

• Providenciar o recolhimento do depósito e multas e do valor das taxas pertinentes;

• Comunicar ao Delegado de Polícia competente a devolução de processos ou autos baixados em diligência, informando habitualmente, das demoras verificadas;

• Providenciar a extração de cópias de documentos cartorários, para os fins solicitados ou requeridos;

• Acautelar objetos e valores vinculados a procedimentos investigatórios ou de ausentes;

• Providenciar e encaminhar objetos a outros órgãos policiais e da Justiça, quando determinado expressamente por Delegado de Polícia competente;

• Expedir convites de comparecimento e intimações, a partes, e requisição de servidores, a fim de serem ouvidos, devidamente firmados por Delegado de Polícia competente;

• Encaminhar vítimas para exames de corpo de delito, com guias subscritas pelo Delegado de Polícia;

• Solicitar exames periciais, assentamentos, profissionais, laudos e demais peças para instrução de inquérito ou processo, quando formalmente determinado pelo Delegado de Polícia;

• Acompanhar o Delegado de Polícia, à inquirição de vítimas, indiciados, acusados e testemunhas onde seja requerida a sua presença;

• Assistir às autoridades policiais nos trabalhos especializados do cartório;

• Exercer todos os deveres profissionais inerentes ao cargo e a função específica;

• Removido ou classificado em outra unidade policial, deverá entregar o cartório, com os arquivos, livros e autos sob sua responsabilidade em perfeita ordem, devendo lavrar o auto de entrega que será registrado no livro próprio (inventário).

O que faz um Investigador da Polícia Civil do Paraná

• Cumprir, prontamente, com urbanidade e atenção, as ordens superiores;

• Proceder a qualquer serviço de natureza policial ou de segurança, de dia ou de noite, esteja ou não designado, desde que verifique a necessidade de faze-lo em prol do sossego público, da garantia de vida ou da propriedade do cidadão, a preservação das instituições ou dos bens públicos, do respeito à lei e observância das normas regulamentares;

• Realizar qualquer serviço de natureza policial ou de segurança, a qualquer hora do dia ou da noite, esteja ou não designado, quando instado a faze-lo pelo superior imediato ou autoridade policial a que se subordina, por seus agentes ou quando solicitado por qualquer cidadão;

• Comunicar à autoridade policial a que estiver subordinado, qualquer fato grave ou potencialmente lesivo ou que demande investigação, chegados ao seu conhecimento;

• Prender ou fazer prender delinquentes contra os quais houver mandado de prisão ou em flagrante delito, providenciando, neste caso, o acompanhamento de testemunhas;

• Comparecer a serviço de plantão, rondas, guarda e vigilância de unidades policiais, segurança de pessoas e outros para os quais tenha sido escalado;

• Zelar pela integridade física e moral, e guarda de presos provisórios, recolhidos nos setores de carceragem das unidades policiais civis, enquanto interessarem à investigação policial;

• Tomar providências sobre qualquer fato que lhe chegar ao conhecimento, de interesse do serviço policial, mesmo que se trate de assunto estranho às atribuições da unidade a que pertence;

• Manter-se em estado permanente de vigilância na prevenção de crimes, contravenções ou atos anti-sociais que possam provocar insatisfações individuais ou coletivas e pôr em perigo o património público ou privado;

• Não abandonar o posto ou missão, sem ordem superior e até a chegada de substituto;

• Cooperar, demonstrando espírito de colaboração, com as autoridades policiais e seus agentes auxiliares, em todas as investigações para a descoberta de crimes e seus autores, empenhando o máximo esforço para o completo êxito das diligências;

• Colocar o superior imediato a par de diligência, investigações ou fatos de interesse policial, com objetividade, clareza, franqueza e lealdade;

• Estar sempre vigilante, em qualquer lugar onde se encontre, observando indivíduos suspeitos ou conhecidos como prejudiciais à tranquilidade pública;

• Participar do esquema de segurança da unidade policial, na vigilância externa e interna da edificação, concorrendo para a conservação das instalações e equipamentos de trabalho;

• Participar de policiamento velado das vias públicas e dos centros de diversões para prevenir delitos e contravenções e reprimir atos anti-sociais perturbadores da normalidade comunitária e ordem pública;

• Apoiar a outros colegas, quando percebida necessidade ou sempre que atender às conveniências de oportunidade;

• Coletar informes e informações sobre atividades e fatos de natureza policial e de segurança, transmitindo-os à autoridade policial a que se subordina;

• Assumir encargos complementares de motoristas e carcereiros quando as circunstâncias ou ordens superiores o determinar;

• Usar a arma individual ou outras armas e equipamentos à sua disposição somente em situação de estado de necessidade, em legítima defesa, ou no estrito cumprimento do dever legal ou no exercício regular de direito;

• Lavrar autos de resistência;

• Zelar pela conservação dos bens materiais sob sua responsabilidade direta ou indireta, cuidando para que haja uso correto e manutenção permanente, especialmente de armas, veículos e todos implementos utilizados em serviço;

• Chefiar a superintendência, seções, grupos e equipes de serviço de plantão, quando designado, desenvolvendo investigações, participando de diligências policiais ou integrando equipes de rondas ou policiamento velado;

• Cumprir, a qualquer hora, as determinações da autoridade policial;

• Informar a autoridade policial, através de relatório, sobre a conclusão das diligências investigatórias que lhe forem incumbidas;

• Manter-se atualizado quanto aos dados estatísticos da região, relativos a incidência criminal e aos infratores da norma penal;

• Proceder às investigações necessárias para a averiguação da vida pregressa dos infratores da lei, de acordo com o que dispõe a legislação vigente;

• Comunicar imediata e expressamente à autoridade policial titular da unidade a que serve toda e qualquer irregularidade de conduta cometida por servidor sob suas ordens;

• Guardar o máximo sigilo e não divulgar quaisquer fatos vinculados a atividades de polícia e segurança;

• Inspecionar as viaturas alocadas à Unidade Policial, verificando suas condições de funcionamento e uso, comunicando qualquer avaria ou desvio de finalidade na sua utilização;

• Assegurar a perfeita manutenção dos veículos a serviço da unidade, no que concerne à limpeza geral, abastecimento e troca sistemática de lubrificantes;

• Conduzir-se com sobriedade nas ações policiais ou quando em serviço na unidade policial, mantendo idêntico comportamento nas folgas do serviço;

• Tratar o público com urbanidade e cortesia, com firmeza e serenidade, só empregando força física quando indispensável e na justa medida da necessidade;

• Observar todas as normas regulamentares sobre deveres e disciplina;

• Atender as convocações de autoridade ou unidades com a máxima presteza;

• Desempenhar tarefas ou missões afins.

O que faz um Papiloscopista da PC PR?

• Efetuar a coleta de impressões digitais nos postos e seções de identificação;

• Colher as impressões das linhas papilares das extremidades digitais das mãos de todas as pessoas interessadas na aquisição de documentos;

• Colher impressões datiloscópicas de vítimas em locais de acidentes e de cadáveres no Instituto Médico Legal;

• Tomar as impressões digitais palmares e plantares quando necessário para qualquer trabalho técnico policial;

• Tomar as impressões digitais de pessoas presas ou detidas, qualquer que seja o motivo, por determinação de autoridade competente, mediante guia ou requisição;

• Controlar em prontuários apropriados o registro geral, as passagens criminais e o respectivo qualificativo das pessoas identificadas;

• Elaborar estatística mensal da movimentação do serviço criminal;

• Determinar as fundamentais e os subtipos das impressões digitais, para fins de identificação pessoal, através do sistema “Juan Vucetich”: ARCO, PRESILHA INTERNA, PRESILHA EXTERNA e VERTICILO;

• Detectar os pontos característicos: anastomose, encarne, ilhota, laguna, confluência, ponto, numeral, eme, forquilha, agulha, arpão, emboque, desvio, bicúspide, cortada, encerro, ponta de linha, bifurcação, tridente e empalme;

• Contar as linhas de Galton e proceder a classificação déltica;

• Determinar as anomalias congénitas e acidentais: anquilose, sindactilia, polidactilia, microdactilia, macrodactilia, adactilia e ectrodactilia;

• Montagem das individuais datiloscópicas, classificando e codificando as planilhas decadatilares, quanto aos seus qualificativos, arquivar através dos datilogramas com separação de fórmulas;

• Proceder pesquisa monodactilar, decadatilar e onomástica;

• Proceder confronto individual datiloscópico, para identificação de pessoas e cadáveres;

• Identificar cadáveres vítimas de acidentes e outros, expedindo laudos para cada identificado;

• Emitir parecer técnico para instruir autos dos poderes judiciais, órgãos congéneres e Delegacias de Polícia, mediante solicitação;

• Prestar assistência na Capital e interior do Estado, quando solicitado, para fiscalizar concursos públicos e vestibulares no que se refere à autenticidade e veracidade das carteiras de identidade;

• Emitir parecer técnico sobre a identificação individual, elaborar laudos de identificação e confrontos datiloscópicos;

• Comparecer a locais de crimes e de acidentes para identificação de vítimas;

• Organizar e controlar todos os serviços pertencentes ao monodatilar;

• Classificar, pesquisar e comparar impressões digitais plantares e palmares no vivo e no morto, civil e criminalmente;

• Preparar, examinar, arquivar e manter atualizadas as fichas datiloscópicas civis e criminais;

• Efetuar, independentemente, quando solicitado por autoridade policial ou judicial, levantamento de fragmentos datiloscópicos em local de crime com finalidade de identificar o autor;

• Organizar e manter atualizados álbuns de fotografias e fitas de vídeo-arquivo de indiciados e suspeitos da prática de infrações penais;

• Realizar perícias datiloscópicas e necrodatiloscópicas e elaborar os respectivos laudos;

• Efetuar trabalhos fotográficos necessários à execução das perícias datiloscópicas e nocrodatiloscópicas;

• Prestar assessoramento técnico-científico ao Diretor do Instituto de Identificação;

• O desempenho de outras atividades correlatas.

Último concurso PC PR

Os últimos concursos da Polícia Civil do Paraná aconteceram em 2009 e 2018. Ao todo, foram 600 vagas ofertadas, além da formação de cadastro reserva. A banca organizadora foi a Coordenadoria de Processos Seletivos da Universidade Estadual de Londrina (Cops/UEL).

Concurso PC PR 2018

O último edital divulgado ofertou vagas para o cargo de Escrivão, com oferta de 100 vagas mais a formação de cadastro reserva.

⇒ Confira o edital do concurso PC PR 2018!

As vagas foram distribuídas da seguinte forma:

Curitiba: 30 vagas;

Região Metropolitana de Curitiba: 20 vagas;

Interior do Estado: 50 vagas.

O salário ofertado era de R$ 5.752,41, em jornadas de trabalho de 40 horas semanais.

A avaliação consistia nas seguintes fases:

– Prova Preambular de Conhecimentos Gerais (Prova Objetiva);
– Prova de Conhecimentos Específicos (Prova Objetiva/Redação);
– Exame de Investigação de Conduta;
– Exame de Higidez Física;
– Exame de Aptidão Física.

A Prova Preambular de Conhecimentos Gerais era composta de 30 questões das seguintes disciplinas:

Língua Portuguesa (15);
Informática (5);
Raciocínio Lógico (5);
Noções da Estrutura do Aparelho Administrativo do Poder Executivo do Estado do Paraná (5).

A Prova de Conhecimentos Específicos também tinha 30 questões, sendo:

Noções de Direito Penal (6);
Noções de Direito Constitucional (6);
Noções de Direito Processual Penal (5);
Legislação Especial (5);
Noções de Direito Administrativo (4);
Estatuto da Polícia Civil do Estado do Paraná (4)

A Redação teria no mínimo 15 e no máximo 25 linhas, com um tema sobre a atualidade da época.

Essas etapas foram aplicadas no dia 18 de novembro de 2018.

Concurso PC PR 2009

O certame de 2009 ofertou 500 vagas, sendo 90 para Escrivão, 381 para Investigador e 29 para Papiloscopista. Os salários praticados na época eram de R$ 2.092,82, R$ 1.955,92 e R$ 2.092,82, respectivamente.

⇒ Confira o edital do concurso PC PR 2009!

A avaliação tinha as seguintes etapas:

– Prova Preambular de Conhecimentos Gerais (Prova Objetiva);
– Prova de Conhecimentos Específicos (Prova Objetiva);
– Prova de Higidez Física;
– Prova de Aptidão Física;
– Prova de Investigação de Conduta.

A Prova Preambular de Conhecimentos Gerais era composta de 25 questões das seguintes disciplinas:

Língua Portuguesa (10);
Economia e Demografia Paranaense (7);
Noções de Informática (4)
Raciocínio Lógico (4);

A Prova de Conhecimentos Específicos também tinha 25 questões, sendo:

Noções de Estatuto da Polícia Civil (5);
Noções de Direito Penal (4);
Noções de Direito Constitucional (4);
Noções de Direito Administrativo (4);
Noções de Direito Processual Penal (4);
Noções de Legislação Específica (4).

Essas etapas foram aplicadas no dia 28 de março de 2010.

Acompanhe nossas

redes sociais