Logo desconto Relógio
     horas                  minutos               segundos

Concurso TCE AM: Banca organizadora está escolhida; edital pode sair no segundo semestre!

Foi confirmado que o novo concurso TCE AM (Tribunal de Contas do Estado do Amazonas) está previsto para esse ano de 2020. O edital irá ofertar 150 vagas para os cargos de Auditor de Controle Externo em várias especialidades, Procurador Jurídico e Auxiliar da Procuradoria, todos com exigência do nível superior. Além disso, os trâmites p...

Status do concurso: Previsto

e-Book Grátis para Você!

Guia Plano de Estudos Passo a Passo. Receba Agora!

Última Notícia

Imagem Concurso TCE AM: Presidente do órgão reafirma o compromisso de divulgar o edital!

Concurso TCE AM: Presidente do órgão reafirma o compromisso de divulgar o edital!

Foi reafirmado pelo presidente do órgão, o compromisso de divulgar o novo edital do concurso TCE AM durante sua gestão. Banca já está definida!

Continuar Lendo

Foi confirmado que o novo concurso TCE AM (Tribunal de Contas do Estado do Amazonas) está previsto para esse ano de 2020. O edital irá ofertar 150 vagas para os cargos de Auditor de Controle Externo em várias especialidades, Procurador Jurídico e Auxiliar da Procuradoria, todos com exigência do nível superior.

Além disso, os trâmites para divulgar o certame estão adiantando, inclusive, com a definição da banca organizadora que será responsável pela execução da seleção!

O presidente do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas, reafirmou o compromisso em publicar o novo edital do concurso TCE AM durante sua gestão.

Em entrevista concedida no dia 02 de julho, Mário de Mello, afirmou que a realização do novo concurso é uma “questão de honra” e novas contratações são necessários para o funcionamento do órgão.

“Se eu não fizer o concurso público para o Tribunal, não serei um homem realizado. O Tribunal tem hoje 304 servidores prestes a se aposentar, se não realizarmos um novo concurso o Tribunal ficará inviável. Nosso concurso será voltado para preenchimento de vagas na área técnica de auditoria e fiscalização em nível superior. Não tenho outra escolha, eu tenho que fazer o concurso. Hoje o Tribunal funciona perfeitamente, mas já sentimos o peso do déficit de servidores”, informou Mello.

De acordo com o presidente do órgão, é previsto que as provas sejam aplicadas no final deste ano ou até o início do ano de 2021.

Banca organizadora do concurso TCE AM

Foi escolhida a banca organizadora do próximo concurso público do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas.

A banca organizadora que será responsável pela execução do certame, é a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O anúncio oficial foi feito pelo conselheiro-presidente do órgão, Mário de Mello, após uma reunião com o presidente da organizadora.

O quantitativo de vagas ainda será confirmado. O edital deve contemplar vagas de nível superior, no cargo de Auditor Técnico de Controle Externo nas especialidades: Auditoria Governamental, Auditoria de Obras Públicas e Ministério Público de Contas.

De acordo com informações passadas pelo setor de Comunicação do tribunal, agora, a comissão do concurso TCE AM deve ser formada, com o propósito de estudar e definir o quantitativo de vagas ofertadas. Atualmente, o déficit, conforme levantamento inicial, é de 150 postos de trabalho. Porém, a disponibilidade de vagas dependerá do orçamento do Tribunal.

“Eu estou muito entusiasmado e focado em realizar esse concurso público pelo déficit que o Tribunal está vivendo. Nossa ideia é fazer ainda este ano ou no máximo no primeiro semestre de 2021. A FGV é uma fundação de referência em todo o país, já realizou vários concursos públicos, e conduzirá com idoneidade e segurança o concurso público da Corte de Contas”, informou o conselheiro Mello.

Vagas do concurso TCE AM

Serão ofertadas vagas para o cargo de Auditor Técnico. Essas distribuídas por quatro áreas: Auditoria Governamental, Auditoria de Obras Públicas, Tecnologia da Informação e Ministério Público de Contas. Cada uma das funções conta com os seguintes requisitos:

Auditoria Governamental: para concorrer, o candidato deverá ter nível superior em qualquer área de formação. No entanto, até 20% das vagas poderão ser destinadas para bacharéis em Administração, Arquivologia, Biblioteconomia, Ciências Atuariais, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Ciências da Saúde, Direito, Enfermagem, Estatística, Fisioterapia, Geologia, Jornalismo, Medicina, Odontologia, Pedagogia e Psicologia;

Auditoria de Obras Públicas: para essa especialidade será aceito o nível Superior em qualquer área de conhecimento da Engenharia e Arquitetura, podendo ser destinado um percentual de 20% para os bacharéis em Arquitetura e Engenharias Ambiental, Elétrica, Eletrônica, de Estradas, Mecânica, Naval, de Pesca, de Petróleo e Gás e de Transportes ou Logística;

Tecnologia da Informação: o requisito será a formação superior em Tecnologia da Informação (TI);

Ministério Público de Contas: exigirá o nível superior em Direito.

Ainda será confirmado pelo tribunal, o valor exato do salário para o cargo. Mas segundo o presidente do órgão, os valores giram em torno de R$ 8.000,00 a R$ 10.000,00.

Sobre o TCE AM

O Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM) desde a sua implantação em 1951 tem a missão constitucional de receber, analisar e avaliar as contas da esfera estadual e, a partir de 1995, com a extinção do Tribunal de Contas dos Municípios do Estado do Amazonas, também para todos os 62 municípios do estado, incluindo a capital Manaus. Tem como atual presidente o Conselheiro Mário Manoel Coelho de Mello.

Origem: Em 12 de outubro de 1950 o Governador Júlio Francisco de Carvalho Filho, cumprindo a determinação constitucional, encaminhou mensagem ao legislativo amazonense para discussão e aprovação do anteprojeto que criava o Tribunal de Contas do Estado do Amazonas. A matéria foi aprovada em regime de urgência naquela mesma data e levada à sanção governamental dois dias depois, convertendo-se na Lei n.º 747, de 14 de outubro de 1950.

Extinção e Restauração do TCE-AM: Em 31 de janeiro de 1951 Álvaro Botelho Maia assume o governo do Amazonas e, com ele, cresce a má vontade com o recém-instalado Tribunal de Contas. Sem que o governo a ele submetesse seus atos de contratos, aposentadorias, reformas, pensões e, principalmente, suas contas, foi o Tribunal de Contas deixado à sua própria sorte, desservido de mobiliário, de material de expediente, do mínimo que fosse necessário ao seu funcionamento.

Assim, em 16 de julho de 1951 o Tribunal de Contas do Amazonas foi extinto pela Lei nº 22, revogando a Lei de nº 747, de 14 de outubro de 1950, que o criara, e a Lei de nº 874, de 30 de dezembro de 1950, que instituíra sua Lei Orgânica. Complementando a extinção pelo governador Álvaro Maia, foram baixados atos de exoneração de todos os juízes e demais servidores não estáveis.

Antes mesmo de completar o seu terceiro ano de administração, Álvaro Maia restaurou o Tribunal de Contas, por meio da Lei nº 317, de 29 de novembro de 1954, assumindo como seu Presidente o juiz Coriolano Cidade Lindoso.

Último concurso TCE AM

O Tribunal de Contas do Estado do Amazonas, realizou seus últimos concursos para ingresso de servidores nos anos de 2015, 2013 e 2012.

O edital de 2015, ofertou 02 vagas de caráter imediato, mais formação de cadastro reserva, para o cargo de Auditor Fiscal. Na época, o salário teve o valor de R$ 28.947,54.

Os demais certames foram para preencher chances na área de apoio. No ano de 2013, o edital ofereceu 24 vagas destinadas para o cargo de Analista Técnico de Controle Externo. Na ocasião, a remuneração foi no valor de R$ 5.500,00.

Já o edital do ano de 2012, a oferta foi de 30 vagas dividias entre as áreas de Auditoria de Obras Públicas (25 vagas) e Tecnologia da Informação (5 vagas). Os ganhos para os cargos, foram de R$ 5.500,00, mais benefícios.

Os três concursos tiveram como banca organizadora, a FCC (Fundação Carlos Chagas). Os candidatos foram avaliados por meio de provas objetivas e provas discursivas, sendo englobadas disciplinas de Conhecimentos Gerais e Conhecimentos Específicos.

Acompanhe nossas

redes sociais