Pesquisar no blog

Concurso TCE GO: Comissão formada. Previsão de 30 vagas!

Novidades, concurseiros! Um novo concurso TCE GO (Tribunal de Contas do Estado de Goiás) deve ter seu edital publicado ainda em 2022. Ademais, uma comissão organizadora foi formada para dar inícios aos preparativos.

Além disso, estão previstas 30 oportunidades de nível superior para o cargo de Analista. Portanto, se você se interessa pela seleção, conheça a seguir todas as informações conhecidas até o momento!

 

Concurso TCE GO: situação atual

Sendo assim, é essencial recordar, antes de mais nada, que uma comissão organizadora já havia sido formada em 2019 com o intuito de iniciar os preparativos para uma nova seleção.

Entretanto, na época os procedimentos não sofreram avanço, de forma que o concurso não aconteceu.

Nesse sentido, agora um novo edital é previsto ainda para 2022, visto que o concurso público está presente nos planos do exercício financeiro de 2022 do Tribunal. Por isso, uma nova comissão organizadora foi formada e divulgada por meio do Diário Oficial, de forma que os membros são:

  • Aelson Nascimento – diretor-geral da Escola Superior de Controle Externo (presidente);
  • Saulo Marques Mesquita – conselheiro;
  • Celmar Rech – ouvidor conselheiro;
  • Cássio Resende de Assis Brito – secretário administrativo.

 

Além disso, a portaria está em vigor, de forma que o grupo já pode iniciar os preparativos do novo edital. Sendo assim, em breve maiores detalhes acerca da seleção poderão ser divulgados.

Ademais, posteriormente deverá ocorrer também o processo de escolha e contratação da banca organizadora que será responsável por receber as inscrições dos candidatos e por viabilizar e aplicar as etapas avaliativas da seleção, como as provas objetivas.

Estude para o concurso dos seus sonhos com a Assinatura Completa da Nova. Tenha acesso a Cursos, Plataforma de Questões, Eventos Exclusivos para Assinantes e Muito Mais!

Vagas, cargos e salários

Nesse sentido, o novo concurso do Tribunal de Contas do Estado de Goiás ofertará, de acordo com as previsões informadas em fevereiro de 2022, 30 oportunidades de nível superior para o cargo de Analista de Controle Externo.

Ademais, vale recordar que a carreira exige somente o nível superior em qualquer área de formação.

Além disso, também é importante destacar que em 2019, quando a realização de um novo concurso foi confirmada, o ex-presidente do órgão havia determinado que a seleção não deveria gerar despesas. Isso porque a questão fiscal é delicada no estado.

Último concurso TCE GO

Sendo assim, enquanto maiores detalhes acerca da nova seleção não são divulgados, é imprescindível que os interessados iniciem sua preparação por meio da análise de antigos editais.

Dessa forma, o último concurso TCE GO aconteceu em 2014 sob a organização da FCC (Fundação Carlos Chagas), quando foram ofertadas 55 oportunidades de nível superior para o cargo de Analista de Controle Externo.

Além disso, os aprovados da época contavam com remunerações no valor de R$ 7.018,03 inicialmente, de forma que atualmente os vencimentos já devem ter passado por reajustes.

Ademais, vale destacar que a taxa de inscrição cobrada na época foi de R$ 162,50. Os inscritos na seleção foram avaliados por meio de provas objetivas e discursivas.

Nesse sentido, para a prova objetiva os candidatos responderam a 100 questões de múltipla escolha acerca de conteúdos das áreas de Conhecimentos Gerais e Específicos. Por outro lado, a prova discursiva contava com 04 questões específicas.

Sobre o TCE GO

Ao Tribunal de Contas do Estado compete:

  • apreciar as contas prestadas anualmente pelo Governador mediante parecer prévio, que deverá ser elaborado no prazo de sessenta dias a contar de seu recebimento e publicado no Diário Oficial do Estado;
  • julgar as contas dos administradores e demais responsáveis por dinheiros, bens e valores públicos da administração direta e indireta, incluídas as fundações e sociedades instituídas e mantidas pelo Estado e as contas daqueles que derem causa a perda, extravio ou outras irregularidades de que resulte prejuízo ao erário;
  • realizar, por iniciativa própria, da Assembleia Legislativa, de comissão técnica ou de inquérito, inspeções e auditorias de natureza contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial nas unidades administrativas dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário e nas demais entidades referidas no inciso II;
  • fiscalizar a aplicação de quaisquer recursos repassados pelo Estado, mediante convênio, acordo, ajuste ou outros instrumentos congêneres, à União, a outros Estados, ao Distrito Federal ou a Municípios;
  • prestar as informações solicitadas pela Assembleia ou por qualquer de suas comissões sobre a fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial e sobre resultados de auditorias e inspeções realizadas;
  • aplicar aos responsáveis, em caso de ilegalidade de despesa, irregularidade de contas ou atraso em sua prestação, as sanções previstas em lei que estabelecerá, entre outras cominações, multa proporcional ao dano causado ao erário;
  • assinar prazo para que o órgão ou entidade adote as providências necessárias ao exato cumprimento da lei, se verificada ilegalidade e sustar, se não atendido, a execução do ato impugnado, comunicando a decisão à Assembleia;
  • fiscalizar as contas de empresas ou consórcios interestaduais, de cujo capital social o Estado participe de forma direta ou indireta, nos termos de acordo, convênio ou ato constitutivo;
  • apreciar e julgar as contas anuais do Tribunal de Contas dos Municípios;
  • entre outros.

 

Atribuições

Ao Tribunal de Contas compete, por disposição dos artigos 25 e 26 da Constituição Estadual, auxiliar a Assembleia Legislativa no exercício do controle externo da Administração Pública. Ao TCE estão atribuídas, dentre outras as seguintes atribuições: apreciar as contas do governador; julgar as contas dos administradores e demais responsáveis por dinheiros, bens e valores públicos. O Tribunal aprecia também a legalidade dos atos da admissão de pessoal, bem como as concessões de aposentadorias, reformas e pensões e realiza auditorias de natureza contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial das unidades administrativas dos três poderes. Fiscaliza, ainda, a aplicação de quaisquer recursos repassados pelo Estado, mediante convênio, acordo, ajuste ou outros instrumentos, à União, aos outros Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios.

 

Acompanhe nossas

redes sociais