Concurso TRF 3: SAIU EDITAL com salários de até R$ 12 mil!

Foi divulgado o edital do novo concurso TRF 3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) que compreende os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul. As oportunidades são para níveis médio e superior, com salários de até R$ 12 mil! Como fazer a inscrição do concurso TRF 3? As inscrições estarão disponíveis a partir das 10h do dia 12 de se...

Status do concurso: Encerrado

Última Notícia

Imagem Concurso TRF3: Mais de 77 mil inscrições são registradas!

Concurso TRF3: Mais de 77 mil inscrições são registradas!

Foi divulgada pela banca organizadora, FCC, a estatística geral de candidatos inscritos no concurso TRF3. Mais de 77 mil candidatos inscritos!

Continuar Lendo

Mais materiais TRF - 3ª Região - São Paulo e Mato Grosso do Sul

Histórico de Notícias

02/10/2019

Concurso TRF 3: Últimas horas para se inscrever no certame!

As inscrições do concurso TRF 3 que compreende os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, ficarão disponíveis até o dia 02 de outubro.

Continuar lendo
17/09/2019

Concurso TRF 3: Conteúdo programático do certame é retificado!

Nesta terça-feira,foi publicado no Diário Oficial da União, a retificação do edital do Concurso TRF 3, referente aos cargos de Analista e Técnico Judiciário

Continuar lendo
12/09/2019

Concurso TRF 3: Candidatos já podem se inscrever no certame!

As inscrições do concurso TRF 3 que compreende os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, ficarão abertas até o dia 02 de outubro.

Continuar lendo
28/08/2019

Concurso TRF3: Suposto cronograma vaza; edital previsto para setembro!

O suposto cronograma do concurso TRF3 que compreende os Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, vazou. Edital poderá ser divulgado já em setembro!

Continuar lendo
21/08/2019

Concurso TRF3: Próximo passo será assinar com FCC e definir cronograma!

O próximo passo do concurso TRF3 após divulgar a banca, será assinar o contrato com a organizadora e definir o cronograma do certame.

Continuar lendo
09/08/2019

Concurso TRF3: FCC é escolhida como banca organizadora do certame!

O concurso TRF3 que compreende os Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, já tem banca organizadora definida, sendo a FCC.

Continuar lendo
01/08/2019

Concurso TRF3: Cresce o número de cargos vagos no órgão!

O TRF3, que compreende os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, tem um alto número de cargos vagos, é urgente a realização de um novo concurso.

Continuar lendo

Foi divulgado o edital do novo concurso TRF 3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) que compreende os estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul. As oportunidades são para níveis médio e superior, com salários de até R$ 12 mil!

Como fazer a inscrição do concurso TRF 3?

As inscrições estarão disponíveis a partir das 10h do dia 12 de setembro até às 14h do dia 02 de outubro de 2019.

Para realizar sua inscrição, o candidato deverá acessar o site da banca organizadora, Fundação Carlos Chagas.

A taxa de inscrição varia entre os seguintes valores:

Nível Médio: R$ 85,00;

Nível Superior: R$ 95,00.

O pagamento da taxa de inscrição deverá ser efetuado até o dia 02 de outubro de 2019.

Nova-TRF3

Vagas e salários do concurso TRF 3

O certame oferta 09 vagas divididas entre as Comarcas de São Paulo e Mato Grosso do Sul, mais formação de cadastro reserva, nos níveis médio e superior. As oportunidades são para os seguintes cargos:

TRF 3 (SEDE)

Nível Médio: Técnico Judiciário/Área Administrativa (1+CR), Técnico Judiciário/Área Apoio Especializado – Informática (1+CR);

Nível Superior: Analista Judiciário/Área Judiciária (1+CR), Analista Judiciário/Área Apoio Especializado – Informática (1+CR).

Seção Judiciária de São Paulo (Capital e Interior)

Nível Médio: Técnico Judiciário/Área Administrativa (2+CR);

Nível Superior: Analista Judiciário/Área Judiciária (2+CR).

Seção Judiciária do Mato Grosso do Sul

Nível Médio: Técnico Judiciário/Área Administrativa (1+CR).

Os salários variam entre os valores de R$ 7.591,37 e R$ 12.455,30, com jornadas de trabalho de 40 horas semanais.

Benefícios

Além da remuneração, os servidores do TRF3 têm direito aos seguintes benefícios:

• Auxílio alimentação: R$ 910,08;

• Assistência pré-escolar: R$ 719,62;

• Assistência médica e odontológica (Participação União): R$ 215,00;

• Auxílio-transporte.

Nova-TRF3

Como será a prova do concurso TRF 3?

A avaliação dos candidatos será mediante prova objetiva e prova discursiva (para todos os cargos), sendo realizadas na data prevista de 01 de dezembro de 2019, com duração de 4h30min, nos seguintes horários:

a) MANHÃ – cargos de Técnico Judiciário – todas as Áreas/Especialidades;

b) TARDE – cargos de Analista Judiciário – todas as Áreas/Especialidades.

As Provas Objetivas, Estudo de Caso e Discursiva/Redação serão realizadas na cidade de São Paulo/SP, para os candidatos inscritos nas Unidades de Classificação Tribunal Regional Federal da 3ª Região e Seção Judiciária do Estado de São Paulo.

E na cidade de Campo Grande/MS, para os candidatos inscritos na Unidade de Classificação Seção Judiciária do Estado de Mato Grosso do Sul.

As Provas Objetivas de Conhecimentos Gerais e de Conhecimentos Específicos serão compostas por 60 questões e constarão de questões objetivas de múltipla escolha (com cinco alternativas cada questão), de caráter eliminatório e classificatório.

Os locais e horários da prova serão informados no site da banca organizadora, Fundação Carlos Chagas, a partir do dia 11 de novembro de 2019.

Haverá ainda uma prova discursiva/Redação para o cargo de Técnico Judiciário e uma prova discursiva/Estudo de Caso para o cargo de Analista Judiciário.

O conteúdo programático da prova consistirá nas seguintes disciplinas:

Técnico Judiciário

– Conhecimentos Gerais: 20 questões – peso 1;

– Conhecimentos Específicos: 40 questões – peso 3;

Analista Judiciário

– Conhecimentos Gerais: 20 questões – peso 1;

– Conhecimentos Específicos: 40 questões – peso 3.

O concurso público terá validade de 2 (dois) anos, a contar da data da publicação da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado, uma vez, por igual período, a critério do Tribunal Regional Federal da 3.ª Região.

Nova-TRF3

Atribuições dos cargos do concurso TRF 3

Técnico Judiciário/Área Administrativa

Realizar atividades de nível intermediário a fim de fornecer auxílio técnico e administrativo, favorecendo o exercício da função judicante pelos magistrados e/ou órgãos julgadores e o exercício das funções necessárias ao adequado funcionamento da organização. Compreende o processamento de feitos, a redação de minutas, o levantamento de dados para elaboração de relatórios estatísticos, planos, programas, projetos e para a instrução de processos, a pesquisa de legislação, doutrina e jurisprudência, a emissão de pareceres, relatórios técnicos, certidões, declarações e informações em processos. Envolve a distribuição e controle de materiais de consumo e permanente, a elaboração e conferência de cálculos diversos, a digitação, revisão, reprodução, expedição e arquivamento de documentos e correspondências, a prestação de informações gerais ao público, bem como a manutenção e consulta a bancos de dados e outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade.

Técnico Judiciário/Área Apoio Especializado – Informática

Realizar atividades de nível intermediário a fim de garantir a adequada automatização de rotinas, por intermédio do desenvolvimento, codificação, teste, implantação, documentação e manutenção dos programas e sistemas, dentre outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade.

Analista Judiciário/Área Judiciária

Realizar atividades de nível superior a fim de fornecer suporte técnico e administrativo, favorecendo o exercício da função judicante pelos magistrados e/ou órgãos julgadores. Compreende o processamento de feitos, a elaboração de pareceres, certidões e relatórios estatísticos e a análise e pesquisa de legislação, doutrina e jurisprudência. Envolve a indexação de documentos e o atendimento às partes, dentre outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade.

Analista Judiciário/Área Apoio Especializado – Informática

Realizar atividades de nível superior a fim de garantir o adequado processamento automático de informações. Compreende o planejamento, o desenvolvimento, a documentação, a implantação e a manutenção dos sistemas informatizados de processamento de informações. Envolve a definição de estratégias e de novas metodologias a serem utilizadas para processamento, arquivamento e recuperação automática de informações, bem como a emissão de pareceres técnicos, o atendimento aos usuários dos sistemas e outras atividades de mesma natureza e grau de complexidade.

Sobre o TRF 3

O Tribunal Regional Federal da Terceira Região foi criado juntamente com os outros quatro Tribunais Regionais Federais, pela Constituição de 1988 (artigo 27, § 6º, do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias), com o objetivo de substituir e regionalizar a jurisdição do extinto Tribunal Federal de Recursos (TFR).

Os Tribunais Regionais Federais foram inaugurados simultaneamente, com suas sedes em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Recife no dia 30 de março de 1989, e tiveram suas composições iniciais previstas na lei nº 7.727, de 1989.

O TRF da Terceira Região foi solenemente instalado sob a presidência do ministro Washington Bolívar de Brito, vice-presidente do Tribunal Federal de Recursos, no Edifício “Saldanha Marinho”, na rua Líbero Badaró, 39 – imóvel da Fepasa, tombado pelo CONDEPHAAT – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo.

Nova-TRF3

Estando esse prédio ainda em fase de reformas, o Tribunal ficou instalado, até 5 de setembro de 1989, na sede da Representação do STJ – Superior Tribunal de Justiça, no 11º andar do “Fórum Pedro Lessa”, na Avenida Paulista, 1682.

Na data de inauguração do TRF da Terceira Região, foram empossados os magistrados (hoje denominados desembargadores federais) Milton Luiz Pereira, Homar Cais, Américo Lourenço Masset Lacombe, Sebastião de Oliveira Lima, Jorge Tadeo Flaquer Scartezzini, Ana Maria Goffi Flaquer Scartezzini, José Kallás, Márcio José de Moraes, Anna Maria Pimentel, Fleury Antonio Pires, Lúcia Valle Figueiredo Collarile, João Grandino Rodas, Rômulo de Souza Pires, Diva Prestes Marcondes Malerbi, Célio Benevides de Carvalho, Aricê Moacir Amaral dos Santos, Pedro Rotta e Edgar Silveira Bueno Filho.

Em 1989 na instalação do Tribunal, a presidência foi assumida pelo juiz Milton Luiz Pereira (hoje ministro do Superior Tribunal de Justiça), sucedido nos biênios seguintes, respectivamente, pelos juízes Homar Cais, Américo Lacombe, Oliveira Lima , Jorge Scartezzini (hoje ministro do Superior Tribunal de Justiça), José Kallás, Márcio Moraes e Anna Maria Pimentel a atual Presidente.

Hoje o TRF da Terceira Região é responsável por mais de 50% das ações ajuizadas na Justiça Federal do país. O rápido aumento dos processos em tramitação e o aumento do número de Desembargadores Federais e de servidores, tornaram as instalações da rua Líbero Badaró inadequadas às necessidades funcionais de todos os setores do Tribunal.

Assim, na gestão do presidente Jorge Scartezzini, foi obtida por meio de permuta com a Caixa Econômica Federal, a nova sede do Tribunal Regional Federal da Terceira Região, localizada na avenida Paulista, 1842 e inaugurada aos 22 de fevereiro de 1999.

A nova sede representou a concretização de um antigo anseio da Justiça Federal em São Paulo, que passou a contar com instalações condignas, permitindo a oferta de uma prestação jurisdicional mais célere e eficaz.

Último concurso TRF 3

O último concurso TRF3 teve seu edital publicado no ano de 2013, na ocasião foram ofertadas 260 vagas nos cargos de Técnico e Analista. O certame foi prorrogado em 2016 por mais dois anos, ou seja, o prazo foi encerrado no mês de junho de 2018.

As oportunidades foram distribuídas da seguinte maneira:

Técnico

– Administrativa: 102 vagas;

– Segurança e Transporte: 16 vagas;

– Contabilidade: 02 vagas;

– Informática: 12 vagas.

As especialidades Segurança do Trabalho, Enfermagem e Telecomunicações e Eletricidade tiveram 1 vaga cada.

Nova-TRF3

Analista

– Judiciária: 66 vagas;

– Oficial de Justiça Avaliador Federal: 23 vagas;

– Biblioteconomia: 03 vagas;

– Contadoria: 16 vagas;

– Engenharia Civil: 05 vagas;

– Engenharia Mecânica: 02 vagas;

– Informática (Infraestrutura): 02 vagas.

As especialidades Informática, Ortopedia, Cardiologia, Psiquiatria, Psicologia do Trabalho, Serviço Social e Arquivologia tiveram 1 (uma) vaga cada.

A banca organizadora responsável pela execução do concurso foi a FCC (Fundação Carlos Chagas).

A avaliação dos candidatos foi mediante provas objetivas, discursivas e estudo de caso, sendo realizadas nas cidades de Araçatuba, Bauru, Campinas, Marília, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo, Campo Grande e Dourados.

Para os cargos de Analista, as provas tiveram duração de 4 horas e 30 minutos, sendo distribuídas da seguinte maneira:

– Conhecimentos Gerais (20 questões, peso 1);

– Conhecimentos Específicos (30 questões, peso 2);

– Estudo de Caso (2 questões, peso 2).

Já para os cargos de Técnico, o tempo de prova variou entre 3 horas e 4 horas e 30 minutos de acordo com a especialidade. A quantidade de questões também mudava de acordo com a área escolhida.

O conteúdo programático da prova foi composto da seguinte forma:

Para todos os Cargos

– Língua Portuguesa;

– Raciocínio Lógico-Matemático.

Nova-TRF3

Para todos, excetos AJAJ, OJAF

– Noções de Direito Penal;

– Noções de Direito Administrativo;

– Noções de Direito Constitucional.

Conhecimentos Específicos

Analista – AJAJ e OJAF

– Direito Civil;

– Direito Processual Civil;

– Direito Penal;

– Direito Processual Penal;

– Direito Administrativo;

– Direito Constitucional;

– Direito Previdenciário;

– Direito Tributário.

Técnico – TJAA

– Noções de Direito Civil;

– Noções de Direito Processual Civil;

– Noções de Direito Penal;

– Noções de Direito Processual Penal;

– Noções de Direito Administrativo;

– Noções de Direito Constitucional;

– Noções de Direito Previdenciário;

– Noções de Direito Tributário.

Para o cargo de AJAJ, até o mês de agosto de 2017 já haviam sido chamados mais de 200 candidatos para nomeação. Para o cargo de TJAA foram mais de 450 convocações e 28 para AJOJ. Tudo isso somente para a capital de São Paulo, ou seja, foram convocados no mínimo, quatro vezes mais do que o número de vagas ofertadas.

Acompanhe nossas

redes sociais