Pesquisar no blog

CNU é abordado em seminário. Confira o que está sendo debatido!

icone calendario 29 nov 2023

Com a banca definida, o edital do Concurso Nacional Unificado (CNU) está próximo de sair. E a seleção foi debatida em seminário, que detalhou estrutura e confirmou prazos; veja!

Estude para o concurso dos seus sonhos com o Método que já ajudou na aprovação de mais de 70 mil alunos. Clique aqui  e saiba mais!

O que está sendo debatido sobre o Concurso Nacional Unificado (CNU)?

Portanto, nesta semana, o Concurso Nacional Unificado (CNU) foi discutido no seminário “Concursos Públicos – Fazer Diferente para Fazer a Diferença”.

Este encontro aconteceu nesta quarta-feira, 29 de novembro, no Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos (MGI).

Entre os temas debatidos estavam a importância do concurso unificado, locais e etapas de prova, além do cronograma e regionalização das vagas.

A ministra da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, Esther Dweck, e o Secretário de Gestão de Pessoas do MGI (SGP/MGI), José Celso Cardoso, participaram do seminário.

“A gente pôde ir anunciando, ao longo deste ano, a realização de concursos públicos. Por não ter concurso há muito tempo, os órgãos e ministérios nos procuraram para ajudar nesse processo. E a maioria dos concursos que foram realizados recentemente tiveram provas apenas em Brasília e nas capitais. Foi daí que surgiu a ideia do Concurso Nacional Unificado”, disse a ministra Esther.

Os profissionais ainda trataram sobre uma possibilidade de haver reaplicação da etapa em outra data, para os candidatos que não puderem comparecer a data estipulada a princípio.

Portanto, José Celso explicou que, apesar que ainda não haver informações concretas, poderá ocorrer a reaplicação, caso haja necessidade.

“Muito provavelmente, dada a expertise que a empresa [banca Cesgranrio] tem com esse tipo de evento e acontecendo a necessidade de se prever isso [a reaplicação de provas em nova data], certamente isso vai estar contemplado”, citou.

Com o concurso unificado, o Governo Federal quer centralizar as seleções autorizadas em 2023 com a aplicação de uma única prova em 180 cidades espalhadas pelo país.

O que já se sabe sobre o Concurso Nacional Unificado (CNU)?

Recentemente foi publicada a dispensa que confirmou a Fundação Cesgranrio como banca organizadora do Concurso  Nacional Unificado, que deve ter edital ainda em 2023.

Além disso, o documento publicado revelou ainda mais detalhes da seleção. Como por exemplo, o Governo Federal espera receber 1,5 milhões de inscritos.

Importante destacar que a Cesgranrio terá sua contratação oficializada até o final deste mês de novembro, tornando o edital iminente.

Portanto, o “Enem dos Concursos” ofertará um total de 6.640 vagas e salários iniciais de até R$ 22 mil. Edital segue previsto para sair dia 20 de dezembro. Então, veja os blocos temáticos:

  • Administração e Finanças Públicas;
  • Setores Econômico, Infraestrutura e Regulação;
  • Agricultura, Meio Ambiente e Desenvolvimento Agrário;
  • Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação;
  • Políticas Sociais; Justiça e Saúde;
  • Trabalho e Previdência;
  • Dados, Tecnologia e Informação Pública; e
  • Nível intermediário.

Confira o termo de referência, na íntegra!

Site oficial

Portanto, o Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) criou um site oficial para reunir informações do Concurso  Nacional Unificado.

O objetivo é facilitar o acesso dos concurseiros. No site haverá notícias, materiais de apoio e publicações da pasta sobre o novo modelo de seleção de servidores públicos do Governo Federal. 

O endereço do site é gov.br/gestao/concursonacional  . O Ministério da Gestão também possui um canal oficial de atendimento para dúvidas e denúncias sobre o concurso: [email protected]

Para se atualizar sobre o novo Concurso Nacional, os interessados também podem seguir as redes sociais do Ministério da Gestão no Instagram, X e TikTok com o usuário @gestaogovbr.

Divisão de vagas por órgãos

  • Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI): 1.480 vagas (incluindo as vagas transversais)
  • Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC): 110 vagas
  • Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ): 30 vagas
  • Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL): 40 vagas
  • Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa): 520 vagas
  • Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra): 742 vagas
  • Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI): 296 vagas
  • Ministério dos Direitos Humanos: 40 vagas
  • Ministério da Educação: 70 vagas
  • Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai): 502 vagas
  • Ministério da Saúde (MS): 220 vagas
  • Superintendência Nacional de Previdência Complementar (PREVIC): 40 vagas
  • Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP): 130 vagas
  • Ministério do Trabalho e Emprego (MTE): 900 vagas
  • Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS): 35 vagas
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): 895 vagas
  • Advocacia-Geral da União (AGU): 400 vagas
  • Ministério dos Povos Indígenas (MPI): 30 vagas
  • Ministério do Planejamento e Orçamento (MPO): 60 vagas
  • Ministério da Cultura (MinC): 50 vagas
  • Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep): 50 vagas

Porcentagem de cotas

Posteriormente, lembramos que o edital de abertura da seleção trará oferta de vagas exclusivas para Pessoas com Deficiência, Negros e Indígenas. Sendo assim, veja a porcentagem:

  • 5% do total de vagas dos cargos em cada localidade para candidatos com deficiência, atendidas as condições do órgão;
  • 20% do total de vagas dos cargos em cada localidade para candidatos negros;
  • 30% do total de vagas dos cargos da FUNAI em cada localidade para candidatos de origem indígena.

Concurso Nacional Unificado: MGI alerta para tentativa de golpe!

MGI divulga página oficial com informações do CNU – Concurso Nacional Unificado. Confira!

Como serão as provas do Concurso Nacional Unificado (CNU)?

As provas estão previstas para serem aplicadas no primeiro trimestre de 2024, entre fevereiro e março, em duas etapas.

A primeira será com provas objetivas ou objetivas e dissertativas, de acordo com as especificidades temáticas de cada bloco. A segunda, a prova de títulos.

Ademais, a avaliação será realizada em 179 municípios e aplicadas em todas as regiões do Brasil  . E uma novidade: em dois turnos.

Portanto, será um domingo, nos períodos da manhã e da tarde, respeitando o horário de Brasília DF. Além disso, as provas objetivas de aplicação geral deverão perpassar três dimensões:

  • valorização do ethos público (se refere à vocação para servir e trabalhar como servidor público);
  • da realidade brasileira e das relações entre Estado; e
  • relação das políticas públicas e o desenvolvimento nacional.

Ainda segundo o documento, a quantidade de provas deverá ser proporcional ao número de blocos temáticos previstos.

Então, serão confeccionadas sete avaliações de nível superior, uma para cada bloco, e uma para o nível intermediário (médio), que representa um único bloco.

Onde serão aplicadas as provas do concurso CNU?

Assim, o grande destaque fica por conta de Minas Gerais, estado que tem previsão de receber aplicação das provas em 24 municípios. Veja:

Concurso Nacional Unificado (CNU): 6.590 vagas e edital em dezembro!

Por fim, a distribuição dos municípios pode ser consultada aqui  ! Veja ainda, segundo o cronograma, as possíveis datas da seleção:

  • resultado final da etapa unificada: até maio de 2024;
  • cursos de formação, quando cabível: até julho de 2024;
  • posse dos novos servidores: até agosto de 2024.

“O Governo Federal tem a experiência do Enem, mas é a primeira vez que estamos fazendo uma prova de concurso público desse vulto, envolvendo 21 órgãos. Por isso, buscamos o apoio dos órgãos de controle desde o princípio, para que todas as etapas do concurso estejam em conformidade com as melhores práticas de gestão, transparência, legalidade e impessoalidade”, disse a diretora de Provimento e Movimentação de Pessoal do MGI, Maria Aparecida Chagas Pereira.

Concurso Nacional Unificado: o que estudar?

O que é o CNU – Concurso Nacional Unificado?

O Concurso Nacional Unificado é um modelo inovador de seleção de servidores públicos, criado pelo Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos.

Segundo o ministério, o novo modelo consiste na realização conjunta de concursos públicos  para o provimento de cargos públicos efetivos no âmbito dos órgãos e das entidades da Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional, mediante a aplicação simultânea de provas em todos os Estados e no Distrito Federal.

“O objetivo é promover igualdade de oportunidades de acesso aos cargos públicos efetivos; padronizar procedimentos na aplicação das provas; aprimorar os métodos de seleção de servidores públicos, de modo a priorizar as qualificações necessárias para o desempenho das atividades inerentes ao setor público; e zelar pelo princípio da impessoalidade na seleção dos candidatos em todas as fases e etapas do certame”, explicou.

CNU: qual perfil da banca Cesgranrio e dicas para provas?

Portanto, começamos destacando que a atuação da Cesgranrio   em concursos públicos é tanto nacional quanto regional e já há 40 anos. É uma banca muito experiente.

Além disso, a banca é conhecida por formular provas de nível mediano, com questões mais curtas e objetivas, geralmente limitando-se a 3 linhas.

Ela usa ainda uma amplitude de cobrança de assuntos que costuma ser bem distribuída, abrangendo todo o edital. Já o peso de cada item costuma variar. Então, veja possíveis matérias básicas:

  • Língua Portuguesa: a cobrança está mais focada na Intepretação de Texto e Gramática Normativa. Por isso, dê muita atenção às noções de acentuação, regência e pontuação.
  • Matemática e Raciocínio Lógico: é comum que sejam apresentados gráficos, tabelas e outros recursos para acompanhar as questões. Assim, a cobrança para essas matérias pode ser um pouco mais elevada, especialmente devido aos recursos oferecidos.
  • Língua Inglesa: É um grande diferencial da Fundação Cesgranrio. Assim, as provas costumam ser mais complexas do que a maioria das avaliações de concurso do segmento e requerem do candidato um maior conhecimento da Língua, pautado principalmente na compreensão e vocabulário.
  • Informática: de modo geral, as questões de informática não são muito complexas e costuma abordar noções de internet, conceitos de segurança da informação e as principais ferramentas de trabalho digital em escritórios (como o pacote office).
  • Disciplinas de Direito: a cobrança costuma ser direta e associada à letra da lei. Entretanto, em casos mais raros, pode-se cobrar jurisprudência.
Saiba mais sobre o Concurso Nacional Unificado: Editais publicados. Mais de 6 mil vagas!

Materiais Relacionados

Notícias relacionadas

Acompanhe nossas

redes sociais