Concurso Público: Maioria é contra a privatização da Caixa, Petrobras e Banco do Brasil!

Redator da Nova Concursos

icone calendario 24 jul 2020

Nos próximos três meses, o Governo Federal pretende anunciar quatro privatizações. Porém, pesquisa aponta rejeição à Caixa, Petrobras e Banco do Brasil.

BAIXE GRÁTIS: Raio-X Banco do Brasil!

Sobre o Último Concurso, O que Faz um Escrituário e Como montar seu Cronograma de Estudos!

Rejeição a privatização de autarquias

No dia 05 de julho, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o Governo Federal vai anunciar quatro grandes privatizações em até 90 dias. Os nomes ainda não foram informados, mas uma recente pesquisa aponta que a maioria rejeita as desestatizações da Caixa, Petrobras e Banco do Brasil.

A Revista Fórum, no dia 21 de julho, tornou pública a 4ª edição de sua Pesquisa Fórum, que mostra o posicionamento dos brasileiros sobre as empresas públicas . De acordo com dados, a maioria ainda se posiciona contra a privatização da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil e da Petrobras.

Das três empresas citadas, a Caixa conta com o maior apoio dos entrevistados. Ao todo, 60,6% se mostram a favor da estatal, enquanto 39,4% apoiam a privatização.

No Banco do Brasil, as opiniões ficam mais dividias, pouco mais da metade dos entrevistados, cerca de 57,8% é contra a privatização do órgão. Já 42,2% são favoráveis que o BB seja entregue à iniciativa privada. Por fim, a Petrobras ainda tem a maioria a favor da estatal, apesar de parte das pessoas apoiar uma possível privatização.

Segundo dados da pesquisa, a rejeição à privatização da Petrobras é de 57%, enquanto 43% desejam a desestatização. Porém, entre as estatais uma delas teve a maioria a favor da sua privatização, sendo os Correios.

No caso da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, há uma divisão quase que uniforme entre os que são a favor (50,7%) e os que são contrários (49,3%) à privatização dos Correios. Vale lembrar que, neste caso, o presidente Jair Bolsonaro, já mencionou o desejo de colocar a estatal no rol da desestatização.

A Pesquisa Fórum é realizada desde o mês de abril. A quarta edição foi realizada entre os dias 14 e 17 de julho e ouviu 1.000 pessoas de todas as regiões do Brasil. A margem de erro é de 3,2 pontos porcentuais, para cima ou para baixo. O método utilizado é o de painel online.

Como funciona o pacote de privatização do governo?

No mês de agosto de 2019, foi divulgado pelo Governo Federal a lista de estatais que poderão ser privatizadas nos próximos anos. Mesmo diante da iniciativa, o plano precisa ser analisado pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

A ideia é que seja feito um estudo pelo BNDES para saber as empresas que estarão em condições de serem negociadas com o setor privado. Mediante a medida, é estimado pelo governo arrecadar até R$ 2 trilhões em investimentos.

As privatizações afetam diretamente o serviço público e quem atua nele. Em algumas estatais, por exemplo, havia a necessidade de novos concursos para suprir a vacância de servidores. Na lista apresentada pelo governo estão:

  • ABGF (Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias);
  • EMGEA (Empresa Gestora de Ativos);
  • Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados);
  • DATAPREV (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social);
  • Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo);
  • Codesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo);
  • Ceitec (Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada);
  • Correios (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos);
  • Telebrás (Telecomunicações Brasileiras S/A).

Além dessas, outras empresas já estavam no pacote de privatização desde a época do ex-presidente Michel Temer. Sendo elas:

  • Eletrobras – Centrais Elétricas Brasileiras S.A;
  • Casa da Moeda do Brasil;
  • LOTEX (Loteria Instantânea Exclusiva);
  • CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos);
  • TRENSURB (Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre S.A.);
  • CEASAMINAS (Centrais de Abastecimentos de Minas Gerais);
  • CODESA (Companhia Docas do Espírito Santo).

Durante o anúncio, em 2019, representantes do governo também anunciaram que, após o estudo realizado pelo BNDES , o executivo irá decidir entre a privatização total da empresa, venda de parte das ações, mantendo ou não o controle da estatal, ou até mesmo pela não privatização.

BAIXE GRÁTIS: Guia Definitivo Plano de Estudos Passo a Passo

Como Organizar sua Rotina, Cronograma de Rotina, Como Controlar a Ansiedade, Como estudar e fazer revisões, Técnica SMART e muito mais!

Acompanhe nossas

redes sociais