Concurso PC MS: Certame está autorizado!

Excelente notícia concurseiros sul-mato grossense! O concurso Polícia Civil do Mato Grosso do Sul (PC MS) está autorizado, é previsto que o certame oferta 170 vagas para diversos cargos. » Prepare-se para o concurso Polícia Civil MS + BÔNUS (GRÁTIS) « Autorizado concurso PC MS O concurso para a Polícia Civil do Mato Grosso do Sul est...

Status do concurso: Previsto

Materiais disponíveis

Última Notícia

Concurso PC MS: Últimas horas de inscrições para 210 vagas e salários de R$ 15 mil!

As inscrições para o Concurso Polícia Civil do Mato Grosso do Sul (PC MS) serão encerradas hoje (24/07)! São 210 vagas e ganhos de até R$ 15 mil! Confira!

Continuar Lendo

Histórico de Notícias

19/07/2017

O que cai na prova PC MS

Concurso Polícia Civil do Estado (PC MS)! Inscrições reabertas até 24 de julho. São 210 vagas com salários que chegam a R$ 15 mil! Saiba o que cai na prova!

Continuar lendo

Excelente notícia concurseiros sul-mato grossense! O concurso Polícia Civil do Mato Grosso do Sul (PC MS) está autorizado, é previsto que o certame oferta 170 vagas para diversos cargos.

» Prepare-se para o concurso Polícia Civil MS + BÔNUS (GRÁTIS) «

Autorizado concurso PC MS

O concurso para a Polícia Civil do Mato Grosso do Sul está autorizado desde 2018, é previsto que o certame oferta 170 vagas para diversos cargos. As vagas previstas para o concurso são para os cargos de Médico Legista, Perito Criminal, Papiloscopista e Agente de Polícia Científica.

Desde o pronunciamento do governador do Estado do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, em 2018, autorizando a abertura do novo concurso, ainda não houve encaminhamento para a realização do certame. Porém, existe um movimento no estado para que o concurso PC MS seja realizado ainda em 2019.

Devido ao fato, segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Civil em Mato Grosso do Sul (Sinpol-MS), Giancarlo Corrêa Miranda, a realização do concurso tem sido muito cobrado pela categoria. “O Sinpol e os servidores da perícia têm reivindicado a publicação de um novo edital. Toda a área pericial será preenchida com essas vagas”, comentou Giancarlo.

Ainda no de 2018, quando o certame foi autorizado, o governador também assinou a alteração na Lei Orgânica da Polícia Civil referente às promoções.

Nova-PCMS

⇒ Confira a mudança na Lei Orgânica da Polícia Civil!

Antes

Ter pelo menos 2 (dois) anos na classe, fazer os cursos e haver disponibilidade de vagas;

Agora

Ter completado 5 (cinco) anos na classe e realizar os cursos, passando a ser habilitado automaticamente para a promoção.

Três dias após o anúncio do governador, a autorização foi divulgada no Diário Oficial do Estado.

Vagas ofertadas no concurso Polícia Civil MS

Conforme adiantado, é previsto que o novo concurso PC MS oferte o total de 170 vagas no nível superior, para os seguintes cargos:

Médico Legista: 40 vagas;

Perito Criminal: 40 vagas;

Papiloscopista: 40 vagas;

Agente de Polícia Científica: 50 vagas.

Segundo informações no edital do último concurso realizado em 2017, os salários variaram entre os valores de R$ 3.888,26 e R$ 14.978,26. Como fazem dois anos do último certame, é provável que os salários passarão por reajustes.

Nova-PCMS

Requisitos e atribuições dos cargos

Confira os requisitos e atribuições que fazem parte do dia-a-dia do profissional nos cargos ofertados:

Médico Legista

Requisitos: Nível superior em Medicina, com inscrição no Conselho Regional, além da possibilidade de exigir 2 anos de experiência na área de formação.

Atribuições: Exercer envolvendo supervisão, planejamento, coordenação, controle, orientação e execução de perícias médico-legais, no vivo e no morto e exames decorrentes, bem como estabelecimento de novos métodos, técnicas e procedimentos de trabalho.

Perito Criminal

Requisitos: Nível superior com inscrição no respectivo Conselho Profissional, com diploma especificado na área de atuação, além disso, pode haver a exigência de 2 anos de experiência na área de formação.

Atribuições: Exercer atividades envolvendo supervisão, planejamento, estudos, coordenação, controle, orientação e execução de perícias criminais em geral, observadas as respectivas especialidades, bem como o estabelecimento de novas técnicas e procedimentos de trabalho.

Papiloscopista

Requisitos: Diploma, devidamente registrado de conclusão de curso superior, em qualquer área de formação, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC.

Atribuições: Orientar e executar coleta de impressões digitais, papilares e plantares, inclusive em cadáveres, realizar perícias papiloscópicas, efetuar as tarefas de identificação civil e criminal e a consequente elaboração de documento correspondente.

Agente de Polícia Científica

Requisitos: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de nível superior, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), acrescido de Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Atribuições: Executar investigações e operações policiais na prevenção e na repressão a ilícitos penais, bem como desempenhar outras atividades de interesse do Órgão.

Nova-PCMS

Requisitos para investidura nos cargos

O candidato interessado nos cargos ofertados do concurso Polícia Civil MS, deverá comprovar para a posse, o atendimento dos seguintes requisitos:

a) ter nacionalidade brasileira;

b) ter no mínimo, vinte e um anos completos e, no máximo, quarenta e cinco anos completos na data de encerramento das inscrições;

c) ter concluído curso superior em nível de graduação;

d) estar em pleno gozo dos direitos políticos;

e) estar quite com as obrigações militares e eleitorais;

f) ter boa conduta na vida pública e privada, não registrando antecedentes criminais, nem ter praticado infração penal;

g) possuir plenas aptidões física e mental, comprovadas mediante parecer médico emitido por junta médica oficial específica a ser designada;

h) possuir habilitação para conduzir veículos, comprovada pela Carteira Nacional de Habilitação, no mínimo, categoria “B”.

Sobre a Polícia Civil MS

POLÍCIA é um vocábulo de origem grega, “politeia”, e derivou para o latim, “politia”, ambos com o mesmo significado: governo de uma cidade, administração, forma de governo.

Com o passar dos tempos o termo “POLÍCIA” assumiu um sentido mais restrito, particular, passando a representar a ação do governo enquanto exerce sua missão de tutela da ordem jurídica, assegurando a tranquilidade pública e a proteção da sociedade contra as violações e malefícios.

A instituição policial brasileira, conforme documentação existente no Museu Nacional do Rio de Janeiro, data de 1530, quando da chegada de Martin Afonso de Souza enviado ao Brasil – Colônia por D. João III. A pesquisa histórica revela que no dia 20 de novembro daquele longínquo ano, a Polícia brasileira iniciava as suas ações, promovendo Justiça e organizando os serviços de ordem pública, como melhor entendesse nas terras conquistadas do Brasil.

Desde estas épocas os serviços policiais utilizavam, para identificarem-se, as cores de Portugal (vermelho e verde) às vezes com a predominância de uma, ora de outra. As identificações serviam para adornar as roupas ou recobrir as armas (lanças ou espadas) e, ao longe, caracterizar os representantes do Rei no combate ao crime, sempre em caráter civil.

A partir de então a Instituição Policial brasileira passou por seguidas reformulações nos anos de 1534, 1538, 1557, 1565, 1566, 1603, e, assim, sucessivamente.

Em 1621 o território brasileiro foi dividido em dois estados: o do Brasil, com sede em Salvador, e o do Maranhão, com sede em São Luiz do Maranhão. O objetivo era melhorar a defesa militar da região norte e estimular a economia e o comércio regional com a metrópole. Nessa ocasião surgiu o esboço da primeira organização policial, com sede instalada no Campo de Santana em Salvador. Essa organização policial era sustentada pelos impostos sobre as casas de pastos, fogos de artifício, tabernas abertas até depois da meia-noite, lançamento de barcos e canoas etc.

Nova-PCMS

A segurança das cidades, vilas e da área rural era provida pelos Alcaides (oficial de justiça), auxiliados pelos Quadrilheiros e Capitães-do-mato, todos escolhidos dentre cidadãos civis. Era o “mundo da desordem” agindo em nome da ordem, colonial e escravista. A organização dos Quadrilheiros foi criada no Brasil nos mesmos moldes da metrópole.

No final do século XVII, Dom João IV criou o cargo de Juiz de Fora nas principais cidades do Império ultramarino português, aumentando dessa forma o poder de interferência dos funcionários régios na administração local.

Em 16 de janeiro de 1760, o Rei de Portugal Dom José I, cria o cargo de Intendente Geral de Polícia da Corte e do Reino, com amplos poderes e ilimitada jurisdição, estendendo-se, portanto, para o Brasil, com o objetivo de garantir a ordem, a segurança e a paz pública. Nas vias havia os Delegados e Subdelegados do Intendente, como seu representante.

Com a divisão do Estado de Mato Grosso, através da Lei Complementar n.º 031, de 11 de outubro de 1977, começou a estruturação dos órgãos administrativos e operacionais de Mato Grosso do Sul e, inicialmente, parte o efetivo de pessoal Estado de Mato Grosso, permaneceu como integrante do quadro de pessoal do novo Estado e seus órgãos já existentes.

A partir da divisão, a Polícia Civil passou a organizar-se e, no final do ano de 1983, ocorreu o primeiro concurso público para todas as categorias funcionais da instituição, sendo que no dia 12 de março de 1984 juntamente com a aula inaugural dos selecionados, iniciou-se a atividade da Academia de Polícia Civil de nosso Estado.

Com o advento da Constituinte de 1988, a Polícia Civil ganhou assento no texto constitucional e hoje é dirigida por um Delegado de Polícia de carreira, bacharel em direito, escolhido e nomeado pelo Governador do Estado dentre os Delegados de classe especial.

A Polícia Civil é um órgão de execução programática da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública, conforme dispõe Decreto n.º 12.218, de 28 de dezembro de 2006, regida por estatuto próprio – Lei Complementar n.º 114, de 19 de dezembro de 2005.

Missão

Agir na defesa da sociedade e preservação da ordem pública, promovendo e participando de medidas de proteção à sociedade e ao indivíduo, exercendo com excelência suas atribuições, ou seja, a apuração das infrações penais e a identificação de sua autoria.

Objetivo

Garantir a segurança dos cidadãos;

Investigar e descobrir os crimes que não puderam ser prevenidos, colhendo e transmitindo às autoridades competentes os indícios e provas, indagando quais sejam os seus autores e cúmplices, concorrendo eficazmente para que sejam levados aos tribunais.

Visão

A Polícia Civil do Estado de Mato Grosso do Sul como referencial de excelência no desempenho de suas atribuições em defesa da sociedade.

Nova-PCMS

Último concurso

O último concurso Polícia Civil MS teve seu edital publicado no ano de 2017, na ocasião foram ofertadas 210 vagas, para os cargos de Delegado e Agente de Polícia Judiciária, da área de Escrivão e Investigador, no nível superior.

As oportunidades foram distribuídas da seguinte maneira:

Delegado de Polícia: 30 vagas;

Escrivão de Polícia Judiciária: 100 vagas;

Investigador de Polícia Judiciária: 80 vagas.

A banca organizadora responsável pela execução do concurso foi a FAPEMS (Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Cultura de Mato Grosso do Sul).

A avaliação dos candidatos foi por meio de sete etapas, sendo:

Etapa I: Prova Escrita Objetiva, eliminatório e classificatório;

Etapa II: Avaliação Médico-Odontológica, eliminatório;

Etapa III: Avaliação de Aptidão Física, eliminatório;

Etapa IV: Avaliação Psicológica, eliminatório;

Etapa V: Prova de Títulos, classificatório;

Etapa VI: Prova Prática de Digitação, eliminatório;

Etapa VII: Investigação Social, eliminatório;

Etapa VII: Curso de Formação Policial, eliminatório e classificatório.

A prova objetiva foi composta por 80 questões, sendo dividida em 3 grupos, cada grupo cobrava disciplinas diferentes, da seguinte maneira:

Grupo P1

– Língua Portuguesa: 15 questões;

– Raciocínio Lógico: 7 questões;

– Noções de Informática: 7 questões;

– Legislação Institucional: 5 questões.

Grupo P2

– Noções de Direito Constitucional: 9 questões;

– Noções de Direito Administrativo: 9 questões.

Grupo P3

– Noções de Direito Penal: 14 questões;

– Noções de Direito Processual Penal: 14 questões.

A avaliação de aptidão física, teve como objetivo avaliar a capacidade do candidato de fazer o Curso de Formação Policial, atuando nos seguintes exercícios:

Masculino

– Flexão e extensão dos membros superiores com o corpo suspenso em barra fixa;

– Abdominal/Flexão Abdominal;

– Abdominal/Tipo Remador;

– Salto em Altura;

– Salto em Distância;

– Corrida.

Nova-PCMS

Feminino

– Sustentação na Barra Fixa;

– Abdominal/Flexão Abdominal;

– Abdominal/Tipo Remador;

– Salto em Altura;

– Salto em Distância;

– Corrida.

Curso de Formação Policial

A classificação dos candidatos nesta etapa foi obtida mediante a soma das pontuações nas etapas da Prova Escrita Objetiva e Prova de Títulos.

O Curso de Formação Policial no concurso PC MS tem carga horária mínima de 600 horas/aula. Sendo ministrado na Academia de Polícia Civil Delegado Júlio César da Fonte Nogueira – Acadepol, em Campo Grande.

O período de treinamento é integral, podendo estender-se aos sábados, domingos, feriados e horários noturnos. Sua estrutura consiste em aulas teóricas, práticas, treinamentos e estágios, com a participação em diligências internas e externas.

Foi considerado reprovado no Curso de Formação Policial e consequentemente eliminado do Concurso Público de Provas e Títulos, o candidato que incidir nas situações abaixo:

a) não tiver atingido a frequência mínima de 90% (noventa por cento) em cada disciplina;

b) não tiver obtido o aproveitamento mínimo de 70 (setenta pontos) por disciplina;

c) apresentar problemas de saúde, de disciplina ou inaptidão para o serviço policial, conforme disposto no Manual do Acadêmico, ou de conduta constatada na Investigação Social;

d) descumprir as normas disciplinares estabelecidas no Manual do Aluno durante o período em que perdurar o Curso de Formação Policial, acarretando instauração de procedimento apuratório, coordenado por servidor designado pelo Diretor da Academia de Polícia Civil.

» Prepare-se para o concurso Polícia Civil MS + BÔNUS (GRÁTIS) «

Acompanhe nossas

redes sociais